Raça Sindi ganha destaque na produção de leite, veja!

PARTILHAR
vaca sindi Adega D - recorde mundial
Foto: Divulgação

A busca por animais que se adaptam ao clima do semiárido, tem colocado a raça Sindi como destaque na produção de leite com até 4.000 litros de leite!

As pesquisas de melhoramento genético na produção leite têm colocado a Paraíba em lugar de destaque, aumentando a procura pelos animais das Estações Experimentais da Empaer, que se adaptam ao clima do semiárido. Um exemplo é a aceitação do gado da raça Sindi, estudado na estação de Alagoinha, que conta com matrizes produzindo até quatro mil litros de leite por lactação.

O projeto ainda prevê a capacitação de técnicos e produtores envolvidos com a produção de leite. Desde o ano passado, o Governo do Estado abriu espaço para estagiários dos cursos de Agronomia e Zootecnia de escolas técnicas e universidades com especialização em melhoramento genético e de produção de leite.

Para chegar ao estágio atual, com tendência a evoluir ainda mais, os trabalhos foram iniciados há 25 anos quando começaram as pesquisas de avaliação em Sistema de Produção de Leite, nas raças Sindi, Gir e Guzerá, nas Estações Experimentais da Empaer em Alagoinha e Umbuzeiro.

Logo apresentaram resultados satisfatórios, o que tem contribuído para melhorar o rebanho bovino e a produção leiteira na Paraíba e outras regiões do País que adquirem animais, repassados aos criadores por meio de leilão público.

As vacas Jarana-E, Tulipa-E, Juma-E, Equipada-E e outras têm uma excelente avaliação da Associação Brasileira de Criadores Zebuínos-ABCZ. A matriz Rutina-E é mãe do maior reprodutor Sindi na avaliação para leite, que é Veludo-E.

O pesquisador Rômulo Albuquerque, coordenador das pesquisas sobre o sistema de produção de leite da raça Sindi, na Estação Experimental de Alagoinha-Empaer, avalia os resultados dos trabalhos. “Nossa proposta é gerar informações para novas pesquisas, visando a otimização da produção de leite com gado zebuíno”, afirmou.

A meta, segundo ele, é verificar, por meio do desempenho do sistema, a eficiência da tecnologia utilizada, servindo como instrumento de difusão de tecnologia de produção de leite e de carne, disponíveis aos produtores.

Além de coletar informações para o conhecimento das famílias e linhagens que se destacam na produção de leite acima da média do rebanho, Rômulo Albuquerque informou que o objetivo é formar tourinhos como melhoradores da raça.

São objetos da pesquisa 209 animais Sindi que compõem o rebanho da estação experimental de Alagoinha, estando no momento, 41 vacas em lactação, além de tourinhos, garrotes, bezerros e novilhos – machos e fêmeas – em diferentes fases.

Com registro de chegada ao Brasil somente nos anos de 1930, o gado Sindi, originário do Paquistão, está presente na Paraíba desde 1950. Somente a partir de 1980, inicialmente na estação experimental de Riacho dos Cavalos. No entanto, em 1996, o plantel foi transferido para Alagoinha, onde as pesquisas tiveram continuidade.

As informações são do Paraiba.com.br

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com