Rebanho morre com tempestade de raio, imagens fortes

Rebanho morre com tempestade de raio, imagens fortes

PARTILHAR
A queda de um raio matou 12 cabeças de gado na tarde dessa quinta-feira (3) em uma fazenda na zona rural de Alta Floresta — Foto: Arquivo pessoal

Os funcionários foram vistoriar o local após a tempestade e encontraram os animais mortos. O arame da cerca arrebentou e atingiu o gado no pasto.

A queda de um raio matou 12 cabeças de gado na tarde dessa quinta-feira (3) em uma fazenda na zona rural de Alta Floresta, a 800 km de Cuiabá. De acordo com os proprietários da fazenda, uma chuva forte atingiu a região de forma rápida e veio acompanhada de raios.

Por instinto, ao iniciar a chuva, os bovinos costumam se aproximar das cercas, como forma de proteção. Isso acontece, principalmente em áreas sem galpões para se abrigarem da chuva e do sol. Porém, a cerca é uma das forma de morte de bois por raio e descargas elétricas. Quando o raio atinge a cerca, a descarga elétrica se espalha por todo cercado, principalmente se for com arame farpado.

Uma descarga elétrica atingiu uma cerca e em seguida os animais que estavam no entorno. Segundo os proprietários, foram atingidas 12 novilhas e todas morreram. Elas procuravam abrigo perto das cercas durante a chuva.

Os funcionários foram vistoriar o local após a tempestade e encontraram os animais mortos. O arame da cerca arrebentou e atingiu o gado no pasto.

O prejuízo, segundo os produtores, é de cerca de R$ 36 mil.

Em casos assim, as autoridades de vigilância sanitária aconselham que os produtores queimem ou enterrem os animais. A carne não deve ser consumida porque é considerada imprópria.

Os proprietários fizeram um buraco em uma área da fazenda e enterraram os animais mortos. Infelizmente, em um momento de grandes dificuldades dentro da pecuária, o pecuarista irá amargar um prejuízo de R$ 36 mil reais. São novilhas e que estão em alta no mercado.

A queda de um raio matou 12 cabeças de gado na tarde dessa quinta-feira (3) em uma fazenda na zona rural de Alta Floresta — Foto: Arquivo pessoal

Mas afinal, tem como mitigar esse problema na minha fazenda?

Com tempestades intensas e de longa duração, a transição entre a primavera e o verão tem alta incidência de raios. É comum os produtores se depararem na imprensa, com notícias sobre dezenas e até centenas de casos de boi morto por raio. Como os pastos são lugares abertos e descampados têm grande probabilidade de ocorrência desse fenômeno meteorológico. Vamos te explicar como prevenir o problema e garantir uma segurança maior aos seus bovinos. Dificilmente, um raio atinge um bovino diretamente, pode acontecer, mas em proporções mais raras.

Por instinto, ao iniciar a chuva, os bovinos costumam se aproximar das cercas, como forma de proteção. Isso acontece, principalmente em áreas sem galpões para se abrigarem da chuva e do sol. Porém, a cerca é uma das forma de morte de bois por raio e descargas elétricas. Quando o raio atinge a cerca, a descarga elétrica se espalha por todo cercado, principalmente se for com arame farpado.

Dicas para evitar boi morto por raio

1- Não importa o tamanho do seu pasto e da cerca. O ideal é que a cada 100 metros, os arames sejam interrompidos com isolantes. Dessa forma, haverá isolamento da descarga elétrica. Não se preocupe que ainda neste texto vamos te explicar como.

2- Evite que o gado fique todo junto. Assim, a uma descarga elétrica de alto impacto, todos poderão morrer. Tocar o gado e espalhá-lo de forma segura, é garantido.

3- Outra sugestão direta para pequenos e médios produtores: construa um galpão. Se sua região for típica de tempestades, principalmente as torrenciais, é a melhor maneira de resguardar seu gado contra raios. Insira também um para-raio no teto para evitar qualquer possibilidade.

4- As árvores são ótimas para proteção contra o sol. Mas no caso de chuvas, é um grande fator de risco. Assim que o céu der os primeiros sinais de tempestade pelo acúmulo de nuvens, evite que o gado se abrigue embaixo delas.

O que fazer na propriedade

Para o isolamento da cerca, com baixo custo, o produtor pode aderir ao isolador. Ele evita que a energia emitida pelo raio seja contínua em toda a extensão da cerca. Dependendo do modelo, aguenta a tração de até 900 kgs, o que garante segurança na cerca e não permite fugas ou rompimento do arame.

A aplicação é fácil, não exigindo o uso de máquinas ou ferramentas, apenas uma alicate de corte.

Modelo de aterramento de hastes para prevenção de correntes elétricas por raio nas cercas. – Foto: Belgo-Mineira Bekaert Arames S.A.

Outro método é aterrar a cerca. Pela trajetória do raio, é preciso encontrar um solo para a descarga. A terra é ótima para isso, pois não dissemina a energia. Por isso, incluir pontos do arame enterrados em toda a extensão do cercado, auxilia na prevenção.

Um objeto metálico que liga todas as cercas, totalmente enterrado, faz com que a descarga termine naquele ponto, ao se chocar com o solo. O objeto mais utilizado e que tem mais garantias é a haste metálica. Geralmente, tem formatos em barras arrendondas ou até mesmo de uma cantoneira. Na imagem abaixo, podemos visualizar modelo de aterramento de hastes para prevenção de correntes elétricas por raio nas cercas.

Modelo de aterramento de hastes para prevenção de correntes elétricas por raio nas cercas. – Foto: Belgo-Mineira Bekaert Arames S.A.

Estas dicas simples e bem estruturas podem evitar muitos prejuízos na sua propriedade. Além de evitar o sofrimento animal.

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com