Rebanho morre por intoxicação

Rebanho morre por intoxicação

PARTILHAR
Gado morto por intoxicação. Fonte: Reprodução Whatsapp

Mais de 12 animais morreram com hemorragia, causada por uma intoxicação de medicamentos. O erro de manejo na aplicação dos carrapaticidas pode ser fatal!

Um caso de morte dos animais em uma propriedade rural do Pará, envolvendo uma hemorragia interna, causada por uma intoxicação, tem chamado atenção nos grupos de Whatsapp e redes sociais. Vamos entender o caso?

Primeiramente, deixamos aqui o canal aberto para as duas partes poderem se manifestar através da nossa redação. O intuito da matéria é abordar a forma correta de aplicação dos medicamentos e expor o caso, com seus fatos, para que não seja circulado a matéria de forma errônea.

A aplicação desses medicamentos, carrapaticidas, como o pour-on é muito utilizado pelos pecuaristas, já que a sua eficácia e rápida aplicação ajuda a evitar parasitas e facilidade do manejo.

Como qualquer medicamento, é preciso tomar cuidado com mistura de outras substâncias, já que a interação de princípios ativos pode causar grandes prejuízos ao animal e o pecuarista. Como aconteceu no caso abaixo.

Prejuízo com a morte dos animais ultrapassa os R$ 40 mil, lamenta produtor!

Os animais foram encontrados mortos no pasto, alguns ainda vivos que tentaram ser tratados mas não sobreviveram. A princípio, a suspeita foi de intoxicação por cipermertrina, e a notícia correu o Brasil, de forma errônea e equivocada, através do vídeo abaixo.

A empresa se manifestou, tendo visitado a propriedade e recolhido material para as devidas análises. Segundo informações, o produtor havia utilizado, além da Cipermertrina, outros medicamentos e óleo queimado. Ou seja, a interação dos medicamentos se tornou um verdadeiro veneno para os animais.

Gado morto por intoxicação. Fonte: Reprodução Whatsapp

Mensagem de um representante da empresa, veiculada no grupo de Whatsapp:

“Bom dia a Todos! Estamos recebendo de vcs a todo momento, vídeos e fotos de um caso de mortes de animais no Quatro Bocas, no Pará. Esse caso já foi prontamente atendido pelo nosso colega Maurício alguns meses atrás, foi feita visita presencial, o proprietário teve todo suporte da empresa, foi feita todas as análises do produto pela garantia da qualidade no mesmo lote usado pelo produtor e nada foi encontrado de problemas com o produto! Lembro ainda que o mesmo lote foi vendido para varias cidades do Brasil e nada aconteceu! Portanto por favor, não precisam enviam mais para seus gestores ou colegas as imagens e vídeos pois isso se propaga de forma errônea. Já enviamos tudo para nosso departamento jurídico que vai tomar as devidas providências. Se algum cliente te enviar peça o mesmo. E explique a mesma coisa que estou passando a vocês.
Obrigado e Bom dia a Todos !”

Gado morto por intoxicação. Fonte: Reprodução Whatsapp
Gado morto por intoxicação. Fonte: Reprodução Whatsapp

Portanto, vale ressaltar que, devemos tomar cuidado na aplicação dos medicamentos e, acima de tudo, cuidado na veiculação de conteúdos que possam ser mal interpretados. Precisamos averiguar os fatos, antes de mais nada.

Gado morto por intoxicação. Fonte: Reprodução Whatsapp

Manejo correto

A utilização correta do produto começa na compra correta do medicamento, atentando para as restrições de aplicação como: idade do animal e descarte do leite em caso de vacas em lactação.

Além disso, é preciso estar atento a bula do medicamento. Qualquer produto comercial, deve ser vendido com bula. Normalmente, esse produtos possuem no verso do frasco, uma tabela de recomendação de dosagem para aplicação no animal.

É fundamental que o pecuarista tenha conhecimento, ou no caso do peão fazer a aplicação, que esse seja treinado para utilizar os produtos. Lembre-se: ” O que diferencia o remédio de um veneno é dose”!

Veja o vídeo da Ouro Fino, onde é explicado o passo a passo para aplicação de produtos similares ao da matéria acima:

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com