Snaplage: Silagem de espigas, veja quando colher!

PARTILHAR

Uma excelente opção para redução dos custos com alimenta na fazenda é a Silagem de espigas (snaplage), mas é preciso colher na hora certa. Confira!

silagem de espigas de milho (snaplage), é um alimento utilizado na dieta de ruminantes há mais de 50 anos. Seu nome de “batismo” é snaplage, termo em inglês que pode ser traduzido livremente como silagem de espigas (grãos, sabugo e brácteas). Para quem ainda não conhece, trata-se de um alimento tipo “dois em um”, misto de volumoso e fonte energética.

Na última década, este alimento ganhou certa importância, principalmente devido ao aumento do número de colhedoras autopropelidas no mercado brasileiro, o que pode ser compreendido como um ganho logístico para muitas fazendas.

Como cerca de 75% da composição é grãos e os outros 25% sabugo e palha, a snaplage é vista como um alimento energético que pode substituir o milho seco e as silagens de grãos úmidos ou reconstituídos em dietas para ruminantes (Lembrando que esta substituição exige uma profunda avaliação nutricional).

Uma vez que a maioria das fazendas depende de serviço terceirizado para a confecção desta silagem, há a necessidade de se estabelecer uma janela de corte para se adequar a chegada do prestador na propriedade com o ótimo da conservação e do valor nutritivo do alimento.

Desse modo, um experimento realizado na UFLA avaliou a snaplage colhida com 30, 35 e 40% de umidade. Como os híbridos são diferentes em termos de proporção dos componentes na espiga (grãos, sabugo e palha) e também quanto a dureza dos grãos, este experimento também avaliou 5 híbridos de milho.

Quanto a maturidade, a snaplage deve ser colhida quando a umidade estiver entre 35 e 40%, caso o objetivo for alimentar vacas em lactação. Neste estágio, o amido dos grãos e a fibra presente no sabugo e na palha são mais digestíveis, o que é fundamental para nutrir animais que apresentam alta taxa de passagem, como as vacas.

Associado a este raciocínio, o estudo também mostrou que híbridos com grãos mais macios apresentaram maior digestibilidade do amido frente aqueles com grãos duros.

Como não houve diferença de produtividade entre os híbridos (toneladas de matéria seca/ha), depreende-se que para dietas de vacas com a inserção de snaplage, é prioritário o uso de híbridos com grãos mais macios e que a umidade da espiga deve estar entre 35 e 40%.

Para avaliar a umidade da espiga, basta determinar a umidade dos grãos e acrescentar cerca de 5% ao cálculo. Ou seja, se a umidade dos grãos for 30% a espiga terá 35%. Isso ocorre porque o sabugo é o componente mais úmido da espiga; portanto ele “adiciona” água ao alimento.

Para ter acesso ao conteúdo completo deste artigo procure por: Gusmão, J.O., Lima, L.M., Ferraretto, L.F., Casagrande, D.R., Bernardes, T.F. (2021). Effects of hybrid and maturity on the conservation and nutritive value of snaplage. Animal Feed Science and Technology, 274.

Com informações do Milk Point

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com

PARTILHAR
Portal de conteúdo rural, nosso papel sempre será transmitir informação de credibilidade ao produtor rural.