Snaplage: conheça a nova “moda” da nutrição

Snaplage: conheça a nova “moda” da nutrição

PARTILHAR
Gado de Corteconfinamento para 20 cabeças
Foto Divulgação. Foto: Thiago Pereira

A snaplage (silagem de espiga) e os resíduos que sobram no campo após sua colheita são ótimas alternativas para terminação de bovinos. Confira!

Seu nome de “batismo” é snaplage, termo em inglês que pode ser traduzido livremente como silagem de espigas (grãos, sabugo e brácteas). Para quem ainda não conhece, trata-se de um alimento tipo “dois em um”, misto de volumoso e fonte energética. Criado pelos italianos na década de 60, aperfeiçoado pelos norte-americanos nos anos 80 e introduzido no Brasil a partir de 2013, ele tem inúmeras vantagens, mas sua produção traz um desafio: encontrar boa destinação para a resteva deixada no campo (50% das plantas de milho).

O Snaplage, é composta por  75 a 80% de grão, 10 a 15% de sabugo e 5 a 10% de palha, sendo um alimento energético rico em fibras. Sendo assim, ele estimula a ruminação, e auxilia na manutenção da saúde ruminal. O Snaplage, entretanto, não deve ser considerado um alimento substituto da silagem de planta inteira do milho. Por mais que tenha boa presença de fibra, não é um volumoso, e sim um insumo com o objetivo de adensar as dietas e aumentar o aproveitamento do amido pelo ruminante.

Para quem ainda não conhece, trata-se de um alimento tipo “dois em um”, misto de volumoso e fonte energética.

A inclusão do Snaplage na dieta de confinamento deve ser associada ao grão seco para evitar problemas metabólicos. Além disso essa combinação resulta em melhor aproveitamento energético pelo ruminante.

Essa relação de grão fermentados e grão seco deve ser de 70:30, desde que atenda o balanço entre amido fermentável e fibra fisicamente efetiva para ruminação. Por se tratar de um alimento energético com fibra, a adição de outras fontes de volumoso é reduzida. 

O processo do Snaplage exige algumas especificidades como a colheita. A adaptação de uma plataforma despigadora à máquina autopropelida parece uma alternativa viável economicamente para colher esse material. Ela permite que essa alternativa possa ser difundida em todas as regiões.

O ponto de colheita tido como ótimo para o Snaplage, é quando o grão do milho apresenta em torno de 28 a 35 por cento de umidade. Isso ocorre porque a espiga possui cerca de 5% de umidade acima do grão. É importante essa análise ser feita de maneira criteriosa, pois o percentual correto e desejável de umidade é essencial para o processo adequado de fermentação e compactação da silagem.

O tempo de ensilagem desse alimento é de no mínimo 60 dias para garantir a máxima digestibilidade do amido, que é o principal nutriente do snaplage. A produtividade da matéria seca da silagem de espiga é outra vantagem. O rendimento geralmente é cerca de 15-20% maior que a silagem de grão úmido devido a presença da palha e sabugo. Isso pode representar menor custo pela tonelada produzida.

Confira, abaixo, 5 benefícios do Snaplage, e entenda porque sua utilização está aumentando entre produtores:

1. É uma fonte de amido digestível de alta qualidade, mais digestível do que a silagem de grão úmido.

2. Seu teor de FDN – por volta de 22% – pode atender integralmente as exigências de fibras de algumas categorias, como no caso da engorda de bovinos em confinamento. Desta forma, ele dispensaria a inclusão de outras fontes de fibras na dieta, reduzindo os custos da mesma.

3. Nutricionalmente, pode atuar como volumoso e concentrado na composição da dieta.

4. Experimentos indicam que o Snaplage pode aumentar a eficiência alimentar de vacas leiteiras, à medida que reduz o consumo sem afetar os índices produtivos.

5. Pode representar uma forma mais eficiente de exploração de sistemas de produção, permitindo maior estoque de animais por área.

“Os dados já disponíveis nos permitem concluir que é possível fazer uma safra de carne na palhada, usando, inclusive, lotações altas e tirando proveito do menor custo alimentar, já que o volumoso não precisa ser processado ou armazenado. Está disponível no campo, à vontade, para consumo dos animais”, explica o professor da UFLA, Thiago Bernardes, que há cinco anos faz pesquisas sobre snaplage.

A Snaplage, é um alimento rico, de grande potencial produtivo e econômico, e deve ser levado em consideração nas atividades onde se fornecem alimentos ensilados aos animais.

Compre Rural com informações do Rehagro, Educapoint, Portal DBO

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com