Soja: Alta em Chicago e queda no mercado brasileiro

Soja: Alta em Chicago e queda no mercado brasileiro

PARTILHAR
semente de soja
Foto: Divulgação

Os preço da soja em Chicago bate mais um recorde em 2020 e é negociada a US$ 12,00/bu, maior valor desde maio/18. Confira o fechamento de ontem!

No Brasil, poucas novidades no mercado da soja, a referência de preço continuou nos R$ 150,00/sc, no entanto, praticamente não há negócios sendo realizados, pois não há oferta. A situação esquentou nos EUA.

Com o dólar enfraquecendo e o petróleo dando forças para o avanço do óleo de soja, a cotação da oleaginosa na CBOT finalmente rompeu os US$ 12,00/bu. O contrato para março/21 fechou o dia com alta de 1,48%, sendo negociado a US$ 12,01/bu, o maior valor da soja norte-americana desde maio/18.

Apesar dos contratos futuros da soja terem rompido a barreira de US$ 12 por Bushel na Bolsa de Chicago, os preços da oleaginosa não reagiram no mercado brasileiro. Sem oferta e sem interesse, as referências oscilaram entre estáveis e mais baixas, em mais um dia de raros negócios.

Em Passo Fundo (RS), a saca de soja com 60 quilos recuou de R$ 140 para R$ 139. Na região das Missões, a cotação baixou de R$ 139 para R$ 138. No porto de Rio Grande, o preço passou de R$ 144 para R$ 143.

Em Cascavel, no Paraná, o preço seguiu em R$ 140 a saca. No porto de Paranaguá (PR), a saca estabilizou em R$ 145.

Em Rondonópolis (MT), a saca ficou em R$ 150. Em Dourados (MS), a cotação estabilizou em R$ 139. Em Rio Verde (GO), a saca baixou de R$ 141 para R$ 135.

Câmbio

O dólar comercial encerrou a sessão com baixa de 0,52%, sendo negociado a R$ 5,0800 para venda e a R$ 5,0790 para compra. Durante o dia, a moeda norte-americana oscilou entre a mínima de R$ 5,0420 e a máxima de R$ 5,0870.

Fonte: Agrifatto e Agência Safras

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com