Soja bate recorde e chega a R$ 128 no Brasil, confira!

Soja bate recorde e chega a R$ 128 no Brasil, confira!

PARTILHAR
SLC_SEMENTES_COLHEITA_SOJA_2019_083
Foto: Divulgação

Segundo a consultoria Safras, diante do cenário de oferta quase inexistente, há produtores pedindo até R$ 130 pela saca; Confira as cotações da soja!

Uma combinação de fatores positivos impulsionou os preços da soja no mercado interno nessa quarta, 12, de acordo com a consultoria Safras. “As referências foram impulsionadas ainda pela alta de mais de 1% de Chicago, pelo dólar acima de R$ 5,40 e pelos prêmios de 190 pontos acima de Chicago”, detalha. “Sem oferta, o produtor está pedindo até R$ 130 pela saca”, acrescenta.

Segundo a consultoria, no disponível, quase não há oferta. Para a safra nova, metade já está comprometida. “Diante desse quadro, o produtor segue cauteloso. Houve registro de negócios a R$ 125 em Dourados (MS) para 7 mil toneladas, atendendo à necessidade da indústria”, informa.

Em Passo Fundo (RS), a saca de 60 quilos subiu de R$ 125 para R$ 127. Na região das Missões, a cotação avançou de R$ 124,50 para R$ 127,50. No porto de Rio Grande, o preço aumentou de R$ 127 para R$ 128.

Em Cascavel (PR), o preço aumentou de R$ 120 para R$ 121,50 a saca. No porto de Paranaguá (PR), a saca passou de R$ 125 para R$ 127.

Em Rondonópolis (MT), a saca subiu de R$ 121 para R$ 122. Em Dourados (MS), a cotação saltou de R$ 120 para R$ 125,00. Em Rio Verde (GO), a saca avançou de R$ 120 para R$ 121.

Contratos futuros

A soja fechou esta quarta-feira, 12, com preços mais altos na Bolsa de Chicago. De acordo com a consultoria Safras, a sinalização de demanda aquecida pela oleaginosa americana garantiu a recuperação, após o mercado testar o território negativo quando o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) indicou produção e estoques americanos acima do esperado. “Hoje foram anunciadas vendas de 378 mil toneladas por parte de exportadores privados, sendo 258 mil para China e 120 mil para destinos não revelados”, informa.

Os possíveis prejuízos às lavouras de Illinois e Iowa em decorrência das fortes chuvas do início da semana ajudaram a sustentar as cotações.

Os contratos da soja em grão com entrega em setembro fecharam com alta de 10,00 centavos ou 1,14% em relação ao fechamento anterior, a US$ 8,80 por bushel. A posição novembro teve cotação de US$ 8,83 por bushel, com ganho de 9,50 centavos ou 1,08%.

Nos subprodutos, a posição dezembro do farelo fechou com alta de US$ 0,30 ou 0,10% a US$ 289,80 por tonelada. No óleo, os contratos com vencimento em dezembro fecharam a 31,55 centavos de dólar, alta de 1,04 centavo ou 3,4%.

Segundo Agrifatto

Em dia de alta no dólar e em Chicago, a soja brasileira continuou se sustentando acima dos R$ 125,00/sc nos portos brasileiros. As atenções no Brasil se voltam para os preparativos do plantio da nova safra que deve começar no próximo mês, com negociações bem adiantadas.

A novidade maior veio dos EUA, já que o relatório de oferta e demanda divulgado pelo USDA trouxe um aumento na produção de soja de 7%, com a expectativa de mais de 120 milhões de toneladas a serem colhidas na atual safra. O reflexo sobre os estoques finais da safra 20/21 foi um aumento de 43%, com 16,6 milhões de “sobras” ao fim da safra. Apesar dos números negativos para o preço, a cotação da oleaginosa avançou 1,21% nesta quarta-feira, puxada pelo 6º dia consecutivo de vendas externas de soja, e a cotação da soja para setembro/20 voltou a ficar acima dos US$ 8,80/bu.

Com informações da Agrifatto e Agência Safras

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com

PARTILHAR
Portal de conteúdo rural, nosso papel sempre será transmitir informação de credibilidade ao produtor rural.