Soja: Cocamar deve receber recorde de 1,8 mi de ton

Soja: Cocamar deve receber recorde de 1,8 mi de ton

PARTILHAR
bico da colheitadeira despejando soja no caminhao
Foto: Fazendas Milanesi Buriti

Cooperativa, que faturou mais de R$ 7 bilhões em 2020, informa ter investido R$ 32 milhões em adequação de estruturas para movimentar maior volume do grão.

A Cocamar Cooperativa Agroindustrial anunciou uma projeção de receber 1.850 milhão de toneladas de soja na safra 2020/2021, superando a temporada passada, quando o recebimento do grão foi de cerca de 1,5 milhão de toneladas. O planejamento da cooperativa para o atual ciclo demandou investimentos de R $ 32 milhões em adequações de estrutura operacional para agilizar o recebimento da produção.

“Várias unidades foram equipadas com novas balanças e tombadores para que os produtores tenham obtido fluidez nas entregas e mantenham a velocidade de colheita”, informa, em comunicado no site oficial da instituição.

A Cocamar avalia que a perspectiva de maior recebimento se sustenta em diversos fatores. Um deles é o aumento de sua participação no mercado, justificado pela cooperativa pela política de fixações e de pagamento à vista pelos grãos. Outro é a expectativa de produtividade da safra dentro da normalidade, mesmo depois do atraso no plantio da safra nova.

“Diante das cotações da soja, que praticamente dobraram entre janeiro de 2020 e janeiro deste ano, houve também um investimento maior em tecnologias por parte dos produtores”, informa o comunicado.

Fundada em 1963 e sediada em Maringá (PR), a Cocamar tem 87 unidades operacionais e atente 15,5 mil produtores cooperados. No ano passado, uma cooperativa elevou seu faturamento em 52% na comparação com 2019, totalizando R $ 7.049 bilhões.

“Os profissionais se sentem seguros na cooperativa”, observa o presidente executivo Divanir Higino, de acordo com divulgado no site da Cocamar.

Safra longa, sem concentração

Na avaliação da área técnica da Cocamar, como intempéries ocorridas ao longo do ciclo escolaridade a safra mais longa, com variações de produtividade. A colheita da soja, até o momento, tem ocorrido de forma pontual e deve se intensificar a partir do dia 20 deste mês. Se, de um lado, uma colheita longa se torna mais onerosa, de outro, não deve haver concentração de recebimento, tornando os serviços mais rápidos.

As áreas operacionais da cooperativa trabalham com a expectativa de intensificação dos trabalhos entre março e abril. Da capacidade estática de armazenagem de 1.680 milhões de toneladas, 1,6 milhão já estão disponíveis. Só em março devem chegar 1,100 milhão de toneladas, sendo 650 mil na primeira quinzena do mês.

“Para os produtores, o movimento de entrega na cooperativa funcionará, como todos os anos, diariamente das 8 às 22 horas. A safra, no entanto, é o momento em que as estruturas não têm descanso e, ao longo das 24 horas do dia, um grande número de caminhões vai estar realizando, a partir das unidades, o transbordo do grão para armazéns “, diz a Cocamar, que, espera movimentar por esse modal um terço do volume total.

Fonte: Globo Rural

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com