Soja com grande valorização e oferta trava negociações

Soja com grande valorização e oferta trava negociações

PARTILHAR
semente de soja
Foto: Divulgação

Segundo a Agrifatto, o preço nominal da oleaginosa no Brasil registrou variação positiva e ficou cotado nos R$ 153,00/sc. Veja o fechamento abaixo!

Com a soja em Chicago valorizando pelo terceiro dia consecutivo e chegando aos US$ 12,48/bu em união ao dólar que voltou a subir, o preço nominal da oleaginosa no Brasil registrou variação positiva e ficou cotado nos R$ 153,00/sc. A expectativa de aumento da demanda chinesa por soja norte-americana e o avanço do farelo de soja (que chegou ao maior valor desde junho/18) foram os fatores que deram sustentação para o preço da oleaginosa em Chicago.

As exportações de soja continuaram em ritmo lentíssimo na última semana. Após embarcar 17 mil toneladas na 2ª semana de dezembro/20, os embarques da oleaginosa na última semana totalizaram 44,10 mil toneladas.

Em comparação ao mesmo período do ano passado, o volume embarcado diariamente está 92% menor. Além disso, a receita média diária registrou um recuo de 15,50%, estabelecendo-se em US$ 4,66 milhões/dia. Caso continue nesse ritmo, dificilmente o Brasil irá obter mais de US$ 100 milhões com a venda de soja no mês de dezembro/20, sendo o pior resultado para um mês de dezembro desde 2014

Fechamento por praças, segundo Agência Safras

Em Passo Fundo (RS), a saca de 60 quilos subiu de R$ 140 para R$ 143. Na região das Missões, a cotação avançou de R$ 139 para R$ 142. No porto de Rio Grande, o preço passou de R$ 145 para R$ 148.

Em Cascavel, no Paraná, o preço avançou de R$ 140 para R$ 141 a saca. No porto de Paranaguá (PR), a saca de soja passou de R$ 145 para R$ 146.

Em Rondonópolis (MT), a saca subiu de R$ 150 para R$ 152. Em Dourados (MS), a cotação avançou de R$ 140 para R$ 142. Em Rio Verde (GO), a saca passou de R$ 138 para R$ 145.

Chicago

Os contratos futuros da soja negociados na Bolsa de Mercadorias de Chicago (CBOT) fecharam a segunda-feira com preços em forte alta. Em sessão volátil, o mercado oscilou bastante até se firmar no território positivo. Além das preocupações com o clima, as inspeções de exportação consistentes dos Estados Unidos completaram o quadro positivo.

Os contratos da soja em grão com entrega em janeiro fecharam com alta de 23,25 centavos de dólar, ou 1,9% a US$ 12,43 por bushel. A posição março teve cotação de US$ 12,47 por bushel, com ganho de 23,50 centavos ou 1,91%.

Nos subprodutos, a posição janeiro do farelo subiu US$ 6,80 ou 1,67% a US$ 412,30 por tonelada. No óleo, os contratos com vencimento em janeiro fecharam a 39,96 centavos de dólar, baixa de 0,11 centavo ou 0,27%.

Câmbio

O dólar comercial encerrou a sessão com alta de 0,76%, sendo negociado a R$ 5,1230 para venda e a R$ 5,1210 para compra. Durante o dia, a moeda norte-americana oscilou entre a mínima de R$ 5,0890 e a máxima de R$ 5,2260.

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com