Soja: preço bate R$ 160/sc com escassez do produto

Soja: preço bate R$ 160/sc com escassez do produto

PARTILHAR
soja no tocantins
Foto: João Di Pietro/Governo do Tocantins

Escassez de produto faz preço da oleaginosa bater próximo dos R$ 160,00/sc nesta quarta-feira. Falta de chuvas nas regiões produtoras do país já ligou sinal de alerta em todo o mercado.

Em mais um dia de valorização de dólar, prêmio e CBOT, a soja brasileira continuou sua alta no mercado físico. Os poucos negócios que são firmados nos portos brasileiros têm como referência o preço de R$ 159,00/sc. A pressão segue firme também sobre o farelo de soja, que, escasso tem como referência no Brasil o valor de R$ 2.200/t.

Nos EUA, a cotação da oleaginosa fechou o dia com uma alta de 0,67%, com o vencimento para novembro/20 atingindo os US$ 10,51/bu. O maior valor desde 13/06/2018. A preocupação com o clima na América do Sul aliado a novas vendas realizadas para os chineses nesta quarta-feira deu força para que a cotação da soja avançasse ainda mais.

Boi Gordo

As vendas de carne bovina no atacado continuam aquém do esperado. Apesar da pequena melhora sazonal nesta primeira quinzena do mês, o fluxo de saída ainda é insuficiente para alterar os patamares de preços atuais. Neste ambiente, a carcaça casada bovina é negociada na faixa dos R$ 12,20 a 16,50/kg no atacado paulista. 

No mercado de boi gordo, os preços da arroba continuam em ascensão. As indústrias têm realizado ofertas maiores para tornar possível a originação de matéria-prima, e, ainda assim, a liquidez das negociações é baixa. Na B3, os contratos futuros sofreram correções técnicas após a disparada na última segunda-feira. O contrato para outubro, o mais negociado do dia, encerrou a R$ 260,50, desvalorização diária de 0,19%.

Milho

Com a demanda externa ainda aquecida, fazendo com que o prêmio pago nos portos pelo milho brasileiro batesse a casa dos US$ 1,40/bu, as cotações do cereal atingiram a casa dos R$ 67,00/sc no mercado físico paulista nesta quarta-feira. Na B3, o rally de alta continuou, com o vencimento para novembro/20 chegando aos R$ 69,42/sc, valorizando 0,97% no comparativo diário.

Nos EUA, a evolução do preço do trigo pressionou o milho na CBOT, o vencimento para dezembro/20 acumulou alta de 0,97%, fechando o dia na casa dos US$ 3,89/bu, o maior valor desde 05/11/19. Há pouca movimentação no mercado de commodities norte-americano neste momento, pois esses estão aguardando o relatório de oferta e demanda do USDA que será divulgado na sexta-feira.

Fonte: Agrifatto

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com