Soja: Preços voltam a romper os R$ 175,00/sc

Soja: Preços voltam a romper os R$ 175,00/sc

PARTILHAR
bico da colheitadeira despejando soja no caminhao
Foto: Fazendas Milanesi Buriti

Apoiado em Chicago; Com preços nos EUA subindo, soja brasileira volta a romper os R$ 175,00/sc, confira o relatório diário da Agrifatto.

Mesmo com um leve recuo do dólar e dos prêmios pagos nos portos, o preço da oleaginosa brasileira se valorizou em Paranaguá/PR na terça-feira, sendo negociado em média a R$ 175,00/sc. O apoio para a valorização veio de Chicago, onde as cotações da soja avançaram, auxiliando para a manutenção do atual patamar da oleaginosa no Brasil.

Com o petróleo e o óleo de palma se valorizando e, consequentemente, puxando o óleo de soja, a oleaginosa em grão registrou um bom desempenho em Chicago na terça-feira, fechando o dia com alta de 0,54%, ficando cotado a US$ 13,90/bu, no vencimento para maio/21. O mercado segue de olho nos estoques globais, que estão bem apertados, e servem como sustentação aos preços da soja.

Boi Gordo

O balcão segue firme e sustentado na pouca oferta de animais prontos para abate. Os preços em São Paulo se mantêm firmes entre R$ 315,00 e R$ 320,00, com variações para cima ou para baixo a depender do prêmio. Na região paulista, as programações de abate fecharam o dia com 6,0 dias úteis.

Terça-feira de tensão no mercado futuro de boi gordo. Após um leve aumento das programações de abate e a pressão negativas das margens industriais, o que tem gerado fechamento de plantas, o dia foi marcado por realizações na B3. O maio/21, fechou o dia com recuo de 1,95%, cotado a R$ 309,65/@. O junho/21 teve o maior recuo, de 2,06%, fechando a R$ 309,55/@.

Milho

A pressão sobre o mercado de milho brasileiro segue grande, e com isso, os preços do cereal continuam a avançar no mercado físico. A terça-feira encerrou-se com a referência para negócio em Campinas/SP próximo dos R$ 96,00/sc. Na B3, mais um dia de valorização dos contratos futuros, com o vencimento para maio/21 fechando com alta de 1,91%, cotado a R$ 103,87/sc.

Nos EUA, o foco e a preocupação sobre a safra que iniciará seu plantio nas próximas semanas crescem, e com a perspectiva de área plantada indicada pelo USDA com uma oferta aperta, o mercado dá sinais de que o preço tem que subir ainda mais. Na CBOT, o contrato com vencimento para setembro/21 fechou o dia com alta de 1,97%, ficando cotado a US$ 5,18/bu.

Fonte: Agrifatto

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com