Temida urutu-cruzeiro mata vaca no Sul; confira fotos

Temida urutu-cruzeiro mata vaca no Sul; confira fotos

PARTILHAR
cobra urutu-cruzeiro close
A serpente também ocorre na Argentina, Paraguai e Uruguai — Foto: Samuel Maria/Arquivo Pessoal

Imagens mostram o tamanho da urutu-cruzeiro que matou a vaca de 600 kg no interior de São Joaquim, na Serra catarinense; confira todos os detalhes

Uma urutu-cruzeiro (Bothrops alternatus) matou um bovino no interior de São Joaquim, na Serra de Santa Catarina. O relato é de um fazendeiro, que mora a cerca de 500 metros do asfalto na saída para o Despraiado, próximo ao perímetro urbano do município. Ele contou ao portal São Joaquim Online que uma de suas vacas, essa de quatro anos e cerca de 600 quilos, estava com as demais próximo ao coxo (assista abaixo) quando foi picada pela perigosa e temida serpente.

A urutu-cruzeiro, que teria picado a vaca e levado à morte por causa da temível ação proteolítica de seu veneno, foi capturada por um vizinho. A serpente fêmea media quase dois metros de comprimento.

Cobra-Urutu-Cruzeiro-Sao-Joaquim-3-1
Vaca estava próxima ao coxo quando foi atacada pela cobra – Foto: São Joaquim Online/Reprodução/ND

O aparecimento deste tipo de animais acende um alerta para a redobrada dos cuidados, principalmente por parte dos pecuaristas e produtores de maçãs da região. O nome desta cobra é devido ao fato de possuir um desenho semelhante a uma cruz na parte superior de sua cabeça.

Cobra foi localizada perto do local onde a vaca foi morta – Foto: São Joaquim Online/Reprodução/ND

Buscando na internet é possível encontrar outros casos de morte de bovinos pela mesma espécie, principalmente no Paraná. Confira o relato – O caseiro afirma que quatro vacas leiteiras morreram, ele foi até o pasto e conseguiu ver a cobra, alegando se tratar de uma Urutu-Cruzeiro, com pelo menos 1,20 metros e coloração escura com detalhes brancos. “Eu vi ela enrolada próxima ao local onde o animal estava morto. Quando fui tentar capturá-la, ela se rastejou rumo ao banhado e sumiu”, conta.

Veneno

A composição do veneno da urutu-cruzeiro varia entre as famílias, gêneros e espécies. Em caso de acidente com a serpente, os sintomas característicos são são dor intensa e inchaço na região da picada, às vezes com manchas arroxeadas e sangramento pelos pontos da picada, em gengivas, pele e urina.

Pode haver complicações, como grave hemorragia em regiões vitais, infecção e necrose na região da picada. Assim como para qualquer acidente causado por serpentes, a vítima deve manter-se calma, beber bastante água, não ingerir bebidas alcoólicas e procurar, imediatamente, um hospital.

Cobra foi localizada por um vizinho – Foto: São Joaquim Online/Reprodução/ND

Mais sobre a cobra urutu-cruzeiro

Amplamente distribuída no Brasil, a urutu-cruzeiro é uma serpente conhecida pela fama de ser perigosa. Das regiões Sul e Sudeste ao Centro-Oeste, corre o ditado: “a urutu, quando não mata, aleija”.

Com até 1,7 metro de comprimento, a urutu-cruzeiro é terrestre e possui corpo robusto. Ela pode ser encontrada no Rio Grande do Sul, Paraná, Santa Catarina, São Paulo, Minas Gerais, Goiás e Mato Grosso. Ela também vive na Argentina, Paraguai e Uruguai, preferencialmente em áreas abertas.

Considerada uma das espécies mais comuns do gênero Bothrops, a urutu se alimenta de roedores como camundongos, ratazanas, capivaras e preás, e marsupiais, como os gambás.

Inclusive a saudosa dupla Tião Carreiro & Pardinho, em uma de suas canções caipiras, conta o relato de um aleijado picado por uma cobra urutu-cruzeiro, na música de mesmo nome.

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com

PARTILHAR
Portal de conteúdo rural, nosso papel sempre será transmitir informação de credibilidade ao produtor rural.