TOP 8 pragas do algodão que podem atacar a sua lavoura

TOP 8 pragas do algodão que podem atacar a sua lavoura

PARTILHAR
Foto: Lidiane Ortiz

Pragas que podem comprometer a produtividade da sua lavoura; ferramentas de monitoramento auxiliam no controle das principais pragas do algodão

Renato Xavier – A cultura do algodão é de grande importância econômica no Brasil, que tem se mantido entre os cinco maiores produtores e exportadores mundiais de pluma. De acordo com dados da Conab (Companhia Nacional de Abastecimento) na atual safra 2019/20, a produção estimada é de 2,93 milhões de toneladas de pluma, 5,4% superior à da temporada passada. As condições climáticas, de modo geral, favoreceram o bom desenvolvimento das lavouras, com o fim da colheita estimada para setembro.

Um dos maiores desafios dos cotonicultores, é a grande quantidade de pragas que atacam esse tipo de cultura e se não controladas, podem reduzir drasticamente a produtividade e rentabilidade das lavouras.

Entre os principais invasores dos algodoeiros, podemos citar 8 pragas:

  1. Ácaro-branco: as folhas apresentam ondulações, virando a margem para baixo à medida em que envelhecem. Os ataques trazem grandes prejuízos à produtividade;
  2. Ácaro-rajado: atacam as folhas, onde surgem manchas avermelhadas e lesões descoradas. A partir dos danos às folhas, o restante da planta é afetado, reduzindo a qualidade das maçãs;
  3. Ácaro-vermelho: inicialmente atacam as folhas e depois a planta toda. As folhas ficam com manchas avermelhadas e depois caem;
  4. Bicudo-do-algodoeiro: trata-se da praga com maior ocorrência nos algodoais, com poder de destruição de até 70% da lavoura em uma única safra. O ataque acontece nos botões florais, podendo ocasionar a destruição completa da planta;
  5. Mosca-branca: se alimenta da seiva dos floemas, retirando os nutrientes das plantas e levando-as à morte ou queda na produção. As folhas atacadas ficam amarelas e caem;
  6. Percevejo-castanho: larvas e insetos adultos sugam continuamente a planta, fazendo-a definhar e morrer. As larvas também inoculam um componente tóxico que impede a rebrota;
  7. Pulgão-do-algodoeiro: possui uma enorme capacidade de reprodução e infestação e ataca a planta como um todo. Os pulgões enfraquecem o algodoeiro pela sucção constante e ainda abrem espaço para a entrada de doenças como viroses;
  8. Spodoptera frugiperda: as larvas raspam as folhas, ocasionando perfurações em formatos variados. É conhecida pela resistência a inseticidas;

Para manter o nível de infestação dos insetos sob controle é preciso a adoção de um conjunto de medidas por parte do cotonicultor. Entre elas está o Manejo Integrado de Pragas (MIP), utilizado em conjunto com os controles químico e biológico.

O sucesso do MIP depende de um monitoramento eficiente e constante, que pode ser intensificado com ferramentas como o Farmbox, capaz de oferecer aos gestores rurais uma tecnologia fácil e rápida de usar, que traz informações importantes por meio do acompanhamento de pragas e doenças, plantio e semeadura.

Renato Xavier - Eng. Agrônomo - Coordenador de Sucesso do Cliente da Checkplant/Farmbox
Renato Xavier – Eng. Agrônomo – Coordenador de Sucesso do Cliente da Checkplant/Farmbox

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com

PARTILHAR
Portal de conteúdo rural, nosso papel sempre será transmitir informação de credibilidade ao produtor rural.