Obrigado por se cadastrar nas Push Notifications!

Quais os assuntos do seu interesse?

UE volta atrás em lei que reduz uso de defensivos agrícolas

Agricultores argumentam que o projeto de lei prejudicará a competitividade do setor na Europa e colocará produção de alimentos em risco.

União Europeia (UE) abandonou a proposta de reduzir em 50% o uso de defensivos agrícolas até 2030. A decisão acontece em meio aos protestos de agricultores em diversos países da Europa.

“A Comissão propôs o SUR [Regulamento sobre o Uso Sustentável de Produtos Fitofarmacêuticos], que é o objetivo digno de reduzir os riscos dos produtos químicos para a produção de plantas. No entanto, a proposta do SUR tornou-se um símbolo de polarização. Foi rejeitada pelo Parlamento Europeu. Não há mais progresso no Conselho. Assim, temos que fazer algo. Por isso, vou propor ao Colégio que retire esta proposta. Mas, é claro, o tema permanece. E para avançar, é necessário mais diálogo e uma abordagem diferente”, afirmou a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen.

Von der Leyen atribuiu os problemas enfrentados pelos agricultores europeus às mudanças climáticas e à Rússia.

“Os agricultores são os primeiros a sentir os efeitos das mudanças climáticas. Secas e inundações destruíram suas colheitas e ameaçaram o gado. Os agricultores estão sentindo o impacto da guerra russa. Inflação, o aumento do custo de energia e fertilizantes. Mesmo assim, eles trabalham duro todos os dias para produzir a comida de qualidade que comemos. Por isso, acredito que devemos a eles reconhecimento, agradecimento e respeito”, afirmou a presidente da Comissão Europeia.

Matteo Salvini, vice-primeiro-ministro italiano responsável pela infraestrutura do partido de direita Liga, elogiou os agricultores por resistirem a Bruxelas, dizendo que seus protestos ajudaram a trazer a Europa de volta à razão.

“A Comissão Europeia está retirando a proposta legislativa sobre pesticidas. Viva os agricultores, cujos tratores estão forçando a Europa a voltar atrás na loucura imposta por multinacionais e pela esquerda!” escreveu ele nas redes sociais.

Salvini criticou von der Leyen, da Alemanha, por priorizar uma ideologia “pseudo-verde” em detrimento dos direitos dos agricultores, pescadores e caminhoneiros europeus.

Protestos de agricultores têm se espalhado pelos estados membros da UE, especialmente na França, Alemanha, Itália, Portugal, Polônia, Romênia e Países Baixos. Os agricultores exigem uma mudança nas políticas e regulamentações agrícolas sufocantes da UE.

Fonte: Agência Safras

VEJA TAMBÉM:

ℹ️ Conteúdo publicado por Myllena Seifarth sob a supervisão do editor-chefe Thiago Pereira

Quer ficar por dentro do agronegócio brasileiro e receber as principais notícias do setor em primeira mão? Para isso é só entrar em nosso grupo do WhatsApp (clique aqui) ou Telegram (clique aqui). Você também pode assinar nosso feed pelo Google Notícias

Não é permitida a cópia integral do conteúdo acima. A reprodução parcial é autorizada apenas na forma de citação e com link para o conteúdo na íntegra. Plágio é crime de acordo com a Lei 9610/98.

Siga o Compre Rural no Google News e acompanhe nossos destaques.
LEIA TAMBÉM