USDA surpreende a todos

USDA surpreende a todos

PARTILHAR
Foto Divulgação.

Norte acima do esperado na produção e nos estoques finais movimenta cotação do milho nos EUA para o maior valor dos últimos 15 meses.

Com notícias positivas vindo dos EUA, o preço do milho registrou uma leve alta no mercado físico na terça-feira. A referência para os negócios voltou a ser os R$ 81,50/sc em São Paulo, subindo R$ 0,50/sc frente a segunda-feira. Na B3, a alta foi ainda mais forte, com o contrato para novembro/20 subindo 3,53% no comparativo diário, fechando a R$ 81,57/sc a três dias do vencimento.

Nos EUA, a divulgação do relatório de oferta e demanda do USDA estremeceu o mercado de commodities norte-americano. A cotação do milho do contrato para dezembro/20 na CBOT subiu 3,80%, atingindo o maior valor desde agosto/19. Os números do Departamento de Agricultura dos EUA surpreenderam o mercado com um corte de produção e estoques acima do esperado. A produção estimada pelo departamento ficou em 368,5 milhões de toneladas, 5,4 milhões a menos que em outubro/20. E com um forte avanço das exportações, os estoques finais nos EUA foram estimados em 46,3 milhões de toneladas, o menor nível desde a safra 13/14.

Boi gordo

Apesar da menor movimentação, a terça-feira foi positiva no mercado atacadista de carne bovina paulista. As indicações da carcaça casada bovina ultrapassaram a faixa dos R$ 18,00/kg, ficando balizadas em R$ 18,20/kg. Sem grandes alterações na conjuntura, a oferta escassa de matéria-prima segue como pilar de sustentação das cotações.

Assim como no atacado, no mercado físico de boi gordo ocorre cenário parecido, a semana iniciou mais agitada, com as indicações avançando por todo o país. As programações de abate não avançam, o que tem puxado para cima os preços da arroba. Em São Paulo, as escalas de abate fecharam o dia em 4,0 dias úteis e os preços da arroba ficando, em média, entre R$ 285,00 e R$ 295,00. Negociações em R$ 300,00/@ já começam a ser vistas. Qual será o próximo alvo?

Soja

Assim como no milho, o relatório de oferta e demanda do USDA ditou o ritmo dos negócios de soja no Brasil. O preço referência nos portos brasileiros voltou a subir, mesmo com a leve queda de 0,64% no dólar. Quem ditou essa valorização no Brasil foi o contrato para novembro/20 na CBOT, que valorizou 3,01%, ficando cotado a US$ 11,38/bu, atingindo a máxima desde o dia 01/06/2018.

A motivação para as altas em Chicago veio também do relatório de oferta e demanda do USDA. O corte de 2,66 milhões de toneladas na produção estimada pelo departamento foi a maior surpresa para o mercado, que aguardava algo em torno de 500 mil toneladas. Com isso, os estoques finais dos EUA caminham para ser o menor das últimas sete safras.

Fonte: Agrifatto

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com

PARTILHAR
Portal de conteúdo rural, nosso papel sempre será transmitir informação de credibilidade ao produtor rural.