Vaquejada quebra recordes no mercado equestre nacional

Vaquejada quebra recordes no mercado equestre nacional

PARTILHAR
don-principe-640x480
Don Príncipe Bar HJG (Foto: Allan Damasceno)

Vaqueja é um esporte nacional e de grande importância para o Brasil e, principalmente, por fazer parte da nossa cultura. Veja os dados!

Essa semana, a Associação Brasileira de Criadores de Cavalo Quarto de Milha – ABQM publicou um balanço dos leilões do ano de 2018. E para nossa alegria, os animais de Vaquejada apareceram muito bem nesse cenário.

Confira abaixo quais foram os recordes de venda dos animais e das coberturas. Além desse mercado, a vaqueja gera emprego, impacto nas economias locais e é um esporte que cresce a cada ano.

Animais mais valorizados 

É da vaquejada o animal mais valorizado da raça quarto de milha negociado em leilões:  Don Príncipe Bar HJG, filho de Don Diego Bars e HJG Pepita Rojo. Ele foi vendido durante o Leilão Rancho Love Horse e Amigos, em João Pessoa PB, do Haras Ceres do Pernambuco, para o criador e cantor Wesley Safadão, do Haras WS, do Ceará. Para levar o “mito” para casa, Safadão desembolsou a quantia de  R$ 2,240 milhões.

Durante o ano, três fêmeas atingiram o valor de mais de R$ 1 milhão e duas delas foram vendidas no Nordeste.

A égua importada Palooza, filha de Colonels Smoking Gun com a premiadíssima em Apartação, Sonita Lena Chick (Smart Chic Olena), foi o primeiro produto de Gunner a ser vendido no Nordeste. Ela foi negociada no Leilão Ana Dantas Ranch – 15ª Edição Vaquejada,  em Lagarto SE. O Paddock Ranch, vendeu 2/3 de Palooza para Jonatas Dantas (Ana Dantas Ranch) e Francisco Fernandes (Rancho FF), todas propriedades no Estado de São Paulo, pela quantia de R$ 1.040.000,00.

Também no Nordeste foi arrematada no 3º Leilão Rancho Vale Rico, no dia 8 de dezembro, durante a 1ª Vaquejada do Milhão, em Pilar AL, a doadora de embriões Supreme Dash, filha de Apollo VM e Deck Down Dash (Holland Ease), comercializada pelo Rancho Vale Rico por R$ 1.011.600,00 para o Condomínio formado pelos criadores Wesley Safadão (Haras WS), do Ceará,  e Ricardo Mendes (Haras São Francisco), do Estado de São Paulo.

Supreme Dash é a égua mais valorizada da história da genética de Vaquejada em todos os tempos vendida em leilão.Ou seja, os três animais mais valorizados de 2018, em leilões da raça quarto de milha foram negociados no Nordeste, em pregões voltados pra genética de vaquejada. Sendo que mais duas matrizes de vaquejada também figuram no TOP 10 do ano, em quinto lugar: Troia Apollo MRL,  (Apollo VM x New Litime), que custou R$ 801.000,00; e em nono: Miss Pritty MJG,  (Don Diego Bars x Peseta Rojo JAR), vendida por R$ 540.000,00.

Recorde em venda de coberturas

A vaquejada também bateu recorde nacional da raça na venda de coberturas. No Leilão do Haras Brejo das Flores, no Pernambuco, o garanhão do HBF,  Arcanjo Toro LM (Rick Toro VM x Grampola Rojo HJG), com seis anos,  vendeu 426 coberturas.

Maiores leilões

No ranking dos dez maiores leilões em faturamento do ano de 2018, quatro deles foram com animais de genética de vaquejada, com produção nordestina. O 3º Leilão Rancho Vale Rico, em Alagoas, gerou movimentação de R$ 6.372.000,00, ficando na terceira posição. Ocupando a sexta colocação o estreante 1º Leilão Elo das Estrelas, em Sergipe, com faturamento de  R$ 4.464.200,00. E em nono e décimo lugares os leilões: 2º Leilão Haras Brejo das Flores no Pernambuco,  rendendo a cifra de R$ 3.614.400,00; e o também estreante 1º Leilão Rancho Love Horse & Amigos,  realizado na Paraíba, com receita de R$ 3.537.800,00.

A maior média de 2018 do QM  também foi feita em um leilão de vaquejada: O 3º Leilão Rancho Vale Rico alcançou R$ 147.200,00 de média por lote. O 1º Leilão Rancho Love Horse & Amigos, ficou com a quinta colocação no ranking, com média de  R$ 126.350,00.

Neste ano foram realizados 232 leilões (114 presenciais e 118 virtuais), que apuraram até 8 de dezembro o montante de R$ 253.305.630,25. Essa cifra é referente à comercialização de 6.127 animais das linhagens de Trabalho, Corrida e Conformação, desde produtos ao pé até reprodutores e matrizes, que proporcionaram valores médios de R$ 41.342,52.

Comparando-se com os dados de 2017, em 231 leilões (106 presenciais e 125 virtuais), o montante foi de R$ 225.720.315,79, referente à venda de 6.052 animais pela média de R$ 37.296,81.

Isso mostra mais uma vez  a força do mercado equestre na nossa economia, e mais uma vez o quanto a vaquejada cresce a nível nacional, sendo importante fonte de renda do povo nordestino.

Com informações do Egilson Teles adaptada pelo Compre Rural

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com