Varejo abre espaço para a carne bovina

Varejo abre espaço para a carne bovina

PARTILHAR
carne
Foto Divulgação. Fonte: Iepec.

Vendas de proteína bovina no varejo ficam aquecidas, e estimulam avanços da carcaça casada do boi gordo no atacado, segundo apontou a Agrifatto!

Segunda-feira como de costume com preços nominais e sem grandes negócios realizados no mercado do boi gordo. Ainda assim, como era esperado, o varejo deu bons sinais no final de semana com um bom volume de vendas, e dá sustentação para que a carcaça casada no atacado possa avançar.

O fim de ano traz consigo pouca liquidez para o mercado físico de boi gordo, a referência em São Paulo continua nos R$ 260,00/@. Na B3, o vencimento para dezembro/20 (ainda mais negociado) obteve leve alta de 0,12%, cotado a R$ 260,75/@.

Foram pouco mais de 33,05 mil toneladas de carne bovina encaminhadas para fora do país na 3ª semana de dezembro/20, volume que fez a média diária do mês avançar 0,48%, e se estabelecer em 6,55 mil toneladas/dia.

Mesmo que tenha ultrapassado as 91 mil toneladas embarcadas nos primeiros 14 dias úteis, a média diária de dezembro/20 ainda está 7,46% abaixo de dezembro/19, desta forma, a probabilidade é que embarquemos menos de 135 mil toneladas neste mês.

Milho

Mesmo com desinteresse dos participantes do mercado em realizar novos negócios, o preço do milho voltou a subir na segunda-feira, atingindo os R$ 75,00/sc como referência em São Paulo. A pressão desta vez veio do dólar, que chegou a bater os R$ 5,20 durante o dia, mas recuou e fechou o dia cotado a R$ 5,12 com valorização de 0,60%. Na B3, o contrato para março/21 apresentou alta de 0,89%, estabelecendo-se em R$ 78,28/sc.

Com um desempenho 51% pior do que as duas primeiras semanas de dezembro/20, as exportações de milho nos últimos cinco dias úteis chegaram a 551,89 mil toneladas.

Com tamanho recuo, a média diária exportada de cereal diminuiu 20,04%, chegando a 201,13 mil toneladas/dia. Com a desvalorização do dólar frente ao real, o milho brasileiro perdeu competividade, e, a diminuição do volume embarcado pode ser justificada por tal movimento.

Soja

Com a soja em Chicago valorizando pelo terceiro dia consecutivo e chegando aos US$ 12,48/bu em união ao dólar que voltou a subir, o preço nominal da oleaginosa no Brasil registrou variação positiva e ficou cotado nos R$ 153,00/sc. A expectativa de aumento da demanda chinesa por soja norte-americana e o avanço do farelo de soja (que chegou ao maior valor desde junho/18) foram os fatores que deram sustentação para o preço da oleaginosa em Chicago.

As exportações de soja continuaram em ritmo lentíssimo na última semana. Após embarcar 17 mil toneladas na 2ª semana de dezembro/20, os embarques da oleaginosa na última semana totalizaram 44,10 mil toneladas.

Em comparação ao mesmo período do ano passado, o volume embarcado diariamente está 92% menor. Além disso, a receita média diária registrou um recuo de 15,50%, estabelecendo-se em US$ 4,66 milhões/dia. Caso continue nesse ritmo, dificilmente o Brasil irá obter mais de US$ 100 milhões com a venda de soja no mês de dezembro/20, sendo o pior resultado para um mês de dezembro desde 2014

Fonte: Agrifatto

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com