Veja como evitar o prejuízo no milho segunda safra

PARTILHAR
agronegocio-milho-parana-
Foto: Divulgação

A frustração da Safra em razão do clima já é nítida no mercado e a Consultoria AgRural, calcula que as perdas provocadas pela falta de chuva ultrapassou 17 milhões de toneladas.

A consultoria AgRural divulgou hoje mais uma estimativa de produção do milho de segunda safra na região Centro-Sul e projeta agora a colheita de 60 milhões de toneladas, ante 65,1 milhões de toneladas projetadas em 6 de maio e 73 milhões de toneladas previsão em 19 de abril. Os analistas da AgRural estimam que, em relação ao potencial inicial, as perdas do milho de segunda safra, provocadas pela falta de chuva, já ultrapassa 17 milhões de toneladas.

A nova estimativa de produção da AgRural para o Centro-Sul se baseia-se em área de 12,9 milhões de hectares (inalterada em relação à estimativa do início de maio e 6% superior à safrinha passada) e em produtividade de 77,5 sacas por hectare. “Se confirmada, essa produtividade será a mais baixa do Centro-Sul desde a safrinha 2016.

Eles explicam que o novo corte de produtividade se deve à revisão para baixo do rendimento médio esperado de todos os estados produtores do Centro-Sul, “e só não foi maior porque algumas chuvas esparsas levaram alívio a uma parte das lavouras mais tardias. P

ara a maioria das áreas, porém, as precipitações chegaram tarde demais. De todo modo, Mato Grosso, embora tenha quebra de safra, é o estado com o melhor desempenho, já que chuvas relativamente boas em abril e também alguns volumes em maio.

A estimativa da AgRural para o Centro-Sul somada aos números da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) para o Norte / Nordeste resulta na produção brasileira de 64,6 milhões de toneladas de milho na safrinha 2021, ante 69,6 milhões de toneladas no começo de maio e 75,1 milhões de toneladas na safrinha 2020. A produção total de milho do Brasil (primeira, segunda e terceira safras somadas) na temporada 2020/21 é estimada agora em 90,9 milhões de toneladas, ante 102,6 milhões no ciclo 2019/2020.

Veja o disse o Leandro Amaral, que é advogado do agronegócio sobre como contornar o prejuízo com a queda na produtividade das lavouras:

O que fazer para comprovar o prejuízo?

1 – A atividade agrícola é de alto risco, e por mais que o Produtor se cerque de cuidados, ainda assim o fator climático pode afetar diretamente o resultado de sua lavoura, trazendo perdas e prejuízos consideráveis;

2 – Sabendo disso nosso Legislador reconheceu a importância da Agricultura para o nosso País, e entendendo que é uma atividade de alto risco, garantiu ao Produtor Rural o direito ao alongamento de suas dívidas relacionadas ao crédito rural, quando sofrer perdas em sua lavoura por questões climáticas;

3 – Para o Produtor Rural obter o alongamento das suas operações de crédito rural, precisa observar alguns requisitos, sendo um deles fazer a prova da causa e da perda da safra;

4 – Como se trata de uma prova difícil, e de responsabilidade do Produtor Rural, entendemos ser importante orientá-lo de como proceder, para que possa realmente garantir tão importante direito junto às instituições financeiras;

5 – Como fazer prova da causa e das perdas?

  1. Para provar a causa da frustação da safra, deve-se ter o cuidado de colher materiais veiculados em noticiários que relatem o problema climático na região, decretos de calamidade eventualmente publicados pelo Poder Executivo Municipal;
  2. Para provar a perdas da safra:

– Fazer fotos e vídeos diários da propriedade rural e da lavoura, com recurso de localização habilitados no celular;

-Solicitar empresa especializada que faça fotos de satélite da lavoura, que demonstre as áreas atingidas;

-Solicitar um Tabelião, que lavre uma ata notarial, contendo informações claras, como nome da Propriedade Rural, data, hora, medidas e coordenadas das áreas de lavoura, qual tipo de cultura, acompanhadas de fotos autenticadas;

– Elaborar um laudo particular de perdas, junto com o responsável técnico pela lavoura, contendo informações bem detalhadas sobre a descrição do imóvel, medidas das áreas de lavoura, áreas afetadas, detalhes da cultura e técnicas aplicadas no cultivo, e a descrição dos motivos das perdas (falta de chuva, excesso de chuva);

– Solicitar a visita de assistente técnico da Instituição financeira, para que elabore laudo de vistoria técnica, sendo importante que o Produtor Rural acompanhe essa vistoria, e assine o laudo se concordar com as informações;

-Solicitar um consultor a elaboração de um laudo de capacidade de pagamento, demonstrando que a operação é viável e que a capacidade de pagamento se adequa ao pedido de prorrogação, sendo importante que as informações sejam realistas.

– Apresentar diretamente à instituição financeira um pedido de prorrogação das operações de crédito rural, antes dos vencimentos dos títulos, contendo informações de quais operações pretende prorrogar, motivo do pedido de prorrogação, cronograma de pagamento pretendido e baseado na capacidade de pagamento.

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com

PARTILHAR
Portal de conteúdo rural, nosso papel sempre será transmitir informação de credibilidade ao produtor rural.