Veja como receber R$ 20,00 a mais por arroba!

PARTILHAR
Foto: Agropecuária Maragogipe

Uma das maiores oportunidades que é colocada no mercado, protocolo está pagando até R$ 20 a mais por arroba no gancho, confira!

A busca do consumidor por carne de qualidade têm feito o pecuarista repensar no seu sistema de produção, atraído não só pela tendência de consumo, mas pelo bônus oferecido pelos frigoríficos. Os pecuaristas entenderam, finalmente, que é preciso produzir aquilo que o mercado deseja e não o que ele gosta. Diante disso, uma das maiores produtoras de carne do mundo lançou a oportunidade dos lotes ganharem até R$ 20,00 a mais por arroba, veja como ter essa bonificação!

A iniciativa premia animais frutos de cruzamento industrial com diversas raças, desde que haja ao menos 50% de sangue taurino em sua composição com a combinação adequada de idade, peso e acabamento.

No caso do Protocolo 1953, uma homenagem ao ano de fundação da Friboi, é cada vez maior o número de pecuaristas que produzem este tipo de carne. Desde o seu surgimento, no final de 2017, o protocolo multi-raças já reúne 1.800 fornecedores que já abateram mais de 250 mil cabeças com cerca de 85% dos animais certificados e bonificados.

Mas nesses cinco anos de existência, do total de abates feitos pela maior empresa processadora de proteína animal do mundo, a JBS-Friboi conseguiu enquadrar nos padrões que a grife exige apenas 0,84% dos animais. Ou seja, de cada 100 reses abatidas pela companhia, menos de uma cabeça se transforma em cortes 1953.

Entre os principais ajustes a serem feitos, de acordo com os idealizadores, está o escore corporal dos bovinos. O acabamento de gordura, que é um dos principais atrativos para o gosto do consumidor por propiciar à carne maciez, suculência e sabor, não deve estar em nenhum dos extremos, escasso ou excessivo.

Alertamos que para as novilhas, é mais fácil “perder a mão” e colocar gordura em excesso na carcaça, enquanto para os machos castrados, a gordura escassa costuma ser problema mais recorrente.

Diante disso, muitos produtores têm procurado informações sobre o Protocolo 1953, hoje com plantas frigoríficas habilitadas nos estados de SP, MS, MT, RO, MG, GO e PA. Adiantamos que são somente machos castrados de até dois dentes incisivos permanentes e novilhas de até quatro dentes e, caso a fêmea tenha peso de carcaça superior a 16@ já recebe preço de macho. É necessário ter, no mínimo, 50% de sangue taurino.

novilhada gorda oriunda de cruzamento nelore angus
Foto: Eduardo Krisztán Pedroso

Protocolo 1953

Tipo dos Animais

Mínimo 50% Taurino de Corte (Britânicas, Continentais ou Adaptadas) Sem cupim proeminente ou orelhas típicas zebu. Somente MACHOS CASTRADOS e NOVILHAS.

RESSALVAS

  • Mínimo 80% do lote deve atender o padrão racial (avaliação no curral)
  • 70% do lote terá avaliação das caraças na indústria. (avaliação na sala de abate)

Protocolo Sinal Verde

Veja como que funciona a Matriz para a classificação dos animais e como se enquadram dentro do protocolo.

Modelo de Bonificação

O modelo de bonificação é dividido entre alguns critérios que são, dessa maneira, remunerados por categorias. A discriminação é feita entra, Machos Castrados e Fêmeas; Protocolo Sinal Verde; Europa/Hilton; Protocolo 1953.

Desta forma, quando combinado, os valores da bonificação dentro da indústria podem remunerar o pecuarista em um valor de até R$ 20,00/@ à mais do que aqueles animais que não enquadram dentro do protoloco.

Unidades habilitadas

Ressalvas importantes

  • Prêmio pago somente para as carcaças aprovadas pelo técnico Friboi.
  • As carcaças que não forem classificadas no Protocolo 1953, poderão ser bonificadas pelo Protocolo Sinal Verde.
  • Carcaças com gordura ausente (1) e excessiva (5) perdem o prêmio e serão penalizadas dentro do Sinal Verde
  • * As condições de premiação apresentadas devem ser garantidas através de contrato a termo
  • Proposta válida para lotes de gado embarcado até 300km da unidade Friboi. • Demanda limitada ao calendário anual de abates classificados 1953 das unidades habilitadas.
  • É vedado o uso de derivados de algodão na ração dos animais.
  • Machos devem ser castrados com antecedência suficiente para garantir o ganho de peso de pelo menos 200 quilos como castrado. Exemplo: peso de abate planejado 550 kg, castração entre 300 e 350 kg.

O protocolo de tipificação multi-raças é a compra selecionada de animais que reúnam determinadas características buscadas pela empresa, mediante a pagamento de prêmio ao pecuarista. Segundo a empresa, com o programa, criadores poderão incrementar sua produção com o cruzamento de diversas raças europeias de corte e zebuínas e ter acesso a bônus por arroba produzida.

Para que o animal seja classificado, ele deve ter ao menos 50% de genética taurina europeia ou raça adaptada e apresentar cobertura de gordura entre três e dez milímetros (gordura 3 ou 4 na escala da indústria). As novilhas podem ser entregues com até quatro dentes incisivos permanentes (cerca de 2,5 a 3 anos de idade). Já os machos devem ser castrados e terminados com no máximo dois dentes incisivos permanentes, ou seja, abaixo dos dois anos de idade.

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com