Você quer lucrar? Então fique de olho na matriz!

Você quer lucrar? Então fique de olho na matriz!

PARTILHAR
vaca nelore com bezerro mamando
Foto: Fazenda Santa Nice

Pecuária: momento é ideal para investir em matrizes? Especialistas respondem; Diante de um cenário de valorização no mercado do boi gordo, analistas avaliam opções dos pecuaristas.

O indicador do boi gordo Cepea/B3, que mostra a média diária de preços por arroba à vista em São Paulo, subiu 3,6% em apenas um dia, atingindo R$ 218,95 nesta quarta-feira, 25. Esse é o nível mais alto desde meados de dezembro de 2019. Considerando a média deste ano para o indicador, já houve alta de 22,7% em relação à média do ano passado.

Diante desse cenário, o pecuarista vem se perguntando se este é o melhor momento para investir em matrizes. Para o consultor de de agronegócio do Itaú BBA Cesar Castro, a resposta é positiva.

“[Mas] É importante que quem se dispor a entrar nesse negócio considere o fato de que muita gente está entrando. A gente está no pico histórico do bezerro. É natural que em algum momento mais adiante a gente tenha um reflexo disso na produção de crias e a tendência é dos preços se enfraquecerem um pouco. Eu, particularmente, estou animado com a cria no longo prazo, justamente porque a pecuária tem um futuro brilhante para o Brasil”, afirma Castro.

O analista de mercado Hyberville Neto, da Scot Consultoria, por sua vez, afirma que, em momento de alta dos preços, o produtor pode focar em melhoras de produtividade. “Eu acredito que, se o dinheiro vem de fora da pecuária, a tendência é que nos próximos anos a gente tenha um cenário mais atrativo para esse dinheiro conseguir comprar mais arrobas. Se o sistema já está rodando e investir na pecuária, melhorando esse sistema, buscando aumentar produtividade, é sempre uma opção também. Mas dinheiro de fora da pecuária está comprando menos arroba do que na média histórica atualmente.”

De acordo com levantamento da Scot Consultoria, o preço da novilha, considerando a média de quase todo o primeiro semestre de 2020, se encontra em patamar bastante elevado, considerando a média dos anos anteriores.

Comparando dados do IBGE, a Scot observou um aumento da proporção de novilhas dentro do total de fêmeas abatidas entre 2018 e 2019. Segundo o analista, isso indica uma tendências para o mercado.

Essa demanda chinesa estaria provocando impacto no mercado desde 2018, quando o país asiático teve um surto de peste suína africana, com consequente queda da produção de proteína e aumento das importações, indica Hyberville Neto.

Preços dos animais de reposição subiram em junho

A menor oferta de animais para reposição e a demanda aquecida, com o cenário positivo no mercado do boi gordo, têm impulsionado ainda mais os preços no mercado de reposição.

No balanço semanal, considerando a média de todos os estados monitorados pela Scot Consultoria, entre machos e fêmeas anelorados, a valorização foi de foi de 3,7% em relação à semana anterior.

Na comparação anual a valorização acumulada é de 44,7%.

Para o curto prazo, a oferta de animais no mercado continuará ditando o rumo das cotações.

Fonte: Scot Consultoria, IBGE e Canal Rural

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com