PARTILHAR

Zootecnista José Otávio Lemos, jurado e conselheiro técnico da ABCZ comenta sobre o uso da genômica no Brasil.

Nas últimas décadas, uma série de importantes descobertas e avanços na área de análise do DNA propiciou o surgimento da Genômica, ciência que trata do estudo do genoma completo dos diferentes organismos. Além do sequenciamento completo do DNA de várias espécies, incluindo os bovinos, o mapeamento dos SNPs em conjunto com plataformas modernas de genotipagem capazes de processar muitas amostras para muitos marcadores numa única análise, tem propiciado a inclusão da informação genômica em esquemas de melhoramento genético. A avaliação genômica abre grandes possibilidades para o melhoramento dos rebanhos. Ela permite, por exemplo, que o animal seja selecionado antes mesmo de nascer.

Artigo: A genômica não é a tábua de salvação

Ah! Para nenhuma raça ou espécie. Mais uma ferramenta para assessorar os trabalhos seletivos de bovinos, bubalinos e outros.

Assessorar não é dirigir.

Muitos de nós, no meio pecuário, estão levantando a bandeira da genômica como um canal aberto decisivo para um sucesso maior na seleção.Isso não é ou será uma verdade absoluta.

Genômica é um ramo da genética que estuda o genoma completo de um organismo. Essa ciência pode se dedicar a determinar a sequência completa do DNA de organismos ou apenas o mapeamento de uma escala genética menor.

Vamos pegar como exemplo um animal conhecido e já falecido há muitos anos. Grado da Santa Cecília, Nelore, um filho do touro importado da Índia de nome Golias. Ele foi o Grande Campeão ExpoZebu 1975.

Foto: Reprodução da Internet

A afirmativa genômica é de que ele mais de 50% da genética do pai nele. Como?

Decretado, por exame, ele possui mais de 50% do DNA similar ao genitor em combinações genéticas em relação à mãe do mesmo.

Mas como? Golias é forte geneticamente?

Não. Coincidiu que na combinação do espermatozoide do Golias com o óvulo da Sejene VR, que era filha do Índio OM com a matriz Dosada, mais a imputação natural do fenômeno do crossing over fez com que o indivíduo tivesse mais de 50% das combinações genéticas similares ao do pai.

Ou seja, a genética da mãe do Grado ou/mais o fenômeno do crossing over possibilitou a coligação de genes de mesmo tipo ao par ou pares que existiram e regeram a existência do pai dele.

Qual o objetivo desta exposição aqui?

Simplesmente para dizer que a Genômica será mais uma ferramenta importante no trabalho de seleção, mas não o tiro certo no centro do alvo – produzir o animal perfeito para sua função desejada.

A Genômica, mais uma ferramenta para assessorar os trabalhos seletivos na pecuária moderna, e que terá mais ainda para evoluir. Muito.

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com

PARTILHAR
Zootecnista José Otávio Lemos, produtor rural, jurado e conselheiro técnico da ABCZ e diretor da JOL Empresa Múltipla Assessoria e Consultoria.