Arroba a R$ 207, frigoríficos perderam a queda de braço

Arroba a R$ 207, frigoríficos perderam a queda de braço

PARTILHAR
nelore-marca-11
Foto: Nelore Marca 11

Produtor que segurou o boi acertou na mosca; Alguns frigoríficos, sobretudo os de médio e pequeno porte, subiram a régua da referência de preços e arroba sobe.

Boi gordo subiu de preço nesta quarta-feira no interior de São Paulo, o salto de R$ 205/@ para R$ 207/@, a prazo, deixando para trás a estabilidade na arroba que já durava algum tempo na praça paulista.  Foi informado no app do Agrobrazil, ainda temos relatos de outros aumentos nas cotações da arroba negociadas em outras regiões do Brasil, confira!

“Já a entrada da massa salarial na economia nos próximos dias deve acelerar a reposição entre atacado e varejo, talvez puxando os preços do boi gordo. No entanto, quaisquer altas serão limitadas pela incapacidade do consumidor final em absorver tantos reajustes da carne bovina em um momento em que a economia ainda cresce de maneira tímida”, assinalou. 

No aplicativo do Agrobrazil, parceiro do Compre Rural, as cotações do boi gordo estão em alta. Pecuarista de Porangatu/GO, teve sua arroba negociada a R$ 194/@ com 30 dias para pagamento e data de abate para 11 de março. Já em Uberaba/MG, o boi Europa saiu por R$ 202,00/@ com 30 dias para pagamento e data do abate para o dia 12 de março. Ainda em São Paulo, valor encontrado em Sandovalina, para o boi China foi de R$ 207/@ com 7 dias para pagar e abate no dia 13 de março.

A média Agrobrazil, foi de R$ 204,29/@, uma recuo de 0,39% comparado ao último fechamento para o estado de São Paulo. Ontem, tivemos negócios de até R$ 206,00 por arroba no estado de São Paulo.

Na média do Brasil, segundo Cepea, temos as cotações firmes em um patamar de R$ 202/@, demonstrando uma excelente tendência para o mês de março, que abre com uma maior necessidade dos frigoríficos de recompor as escalas.

Os pecuaristas estão cautelosos para realizar novos negócios para o boi gordo em função de a reposição estar com preços aquecidos. Além disso, os produtores relatam dificuldade em encontrar animais jovens que chegam a custar na média de R$ 2.000,00/cab do bezerro e a novilha está em torno de R$ 1.600,00/cab.

O Pecuarista e Proprietário do Boitel Chaparral, Sérgio Przepiorka, a referência do boi gordo deveria estar ao redor de R$ 210,00/@ para remunerar os pecuaristas. 

Segundo Scot Consultoria

Preços firmes e incremento nas escalas de abate. Embora os preços estejam estáveis em relação à cotação de ontem, tem surgido mais oferta em São Paulo e, com isso, as escalas de abate melhoraram. 

Os preços seguem sem alteração na comparação coma última terça-feira (3/3). Hoje (4/3), o boi está cotado emR$200,00/@, à vista, livre de Senar e Funrural, R$202,50/@com o desconto do Senar eR$203,00/@, à vista, bruto.

Segundo Safras&Mercado

  • Em São Paulo, capital, os preços do mercado à vista seguiram em R$ 203 a arroba.
  • Em Uberaba, Minas Gerais, os preços permaneceram em R$ 196, a arroba.
  • Em Dourados, no Mato Grosso do Sul, os preços ficaram em R$ 194.
  • Em Goiânia, Goiás, o preço indicado continuou em R$ 195 a arroba.
  • Já em Cuiabá, no Mato Grosso, o preço seguiu em R$ 185 a arroba. 

Atacado 

No mercado atacadista, os preços da carne bovina também não se mexeram. “O ambiente de negócios ainda sugere por alguma alta dos preços no curto prazo com o crescimento sazonal do consumo no início de cada mês”, disse Iglesias. 

Assim, o corte traseiro seguiu em R$ 14,25 o quilo. A ponta de agulha permaneceu em R$ 11,40 por quilo. Já o corte dianteiro seguiu em R$ 12 por quilo. 

Compre Rural com informações do Agrobrazil, FNP, Safras&Mercado e Scot Consultoria

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com