Arroba mantém R$ 345; E agora, vai subir ou descer?

PARTILHAR
Confinamento e Boitel VFL BRASIL. Foto: Marcella Pereira

Os preços seguem pressionados quanto ao mercado interno, mas as exportações aquecidas acabam sustentando as cotações em patamares elevados!

O mercado físico do boi gordo manteve preços pouco alterados nesta quinta-feira, 20, mantendo seus padrões de negociação na semana em praticamente todas as praças pecuárias. O cenário para os animais que cumprem os requisitos de exportação com destino ao mercado chinês seguem muito demandados e recebem prêmios de até R$ 15 por arroba, conforme informado diariamente aqui no mercado. Arroba mantém R$ 345; E agora, vai subir ou descer?

Porém, a chegada do dólar aos R$ 5,40 levanta o sinal de alerta até mesmo para os frigoríficos que estão focados na comercialização com a China, considerando a precificação atual e esse dólar temos o maior preço em dólares para o boi gordo dos últimos seis meses, com o animal valendo em torno de US$ 62,70/@.

Há nove dias sem variações na cotação da arroba do boi gordo em São Paulo, hoje o mercado seguiu estável para essa categoria. O consumo fraco no mercado interno, mas exportação de carne bovina firme, estão sustentando os preços. Alerta no mercado pecuário para a próxima semana já começa a ser vista pelos pecuaristas!

No entanto, a cotação da novilha gorda registrou queda de R$1,00/@ no comparativo diário. A cotação da vaca ficou estável. As referências do boi, vaca e novilha gordos são, respectivamente, R$337,00/@, R$308,00/@ e R$325,00/@, preços brutos e a prazo. Os negócios com o “boi China” estão firmes e ocorrem até R$345,00/@, apontou a Scot Consultoria!

O preço do Indicador do Boi Gordo/CEPEA, trouxe uma alta de 0,61%. Sendo assim, os preços da arroba do boi gordo na média paulista saltaram de R$ 337,20/@ para o valor de R$ 339,25/@, com isso o boi gordo acumula uma alta positiva neste mês de 0,82%. O mercado voltou ao patamar de maiores precificações para o Indicador. Confira o gráfico abaixo!

Sendo assim, em São Paulo, o valor médio para o animal terminado apresentou uma média geral a R$ 338,07/@, na quinta-feira (20/01), conforme dados informados no aplicativo da Agrobrazil. Já a praça de Goiás teve média de R$ 334,06/@, seguido por Mato Grosso Sul com valor de R$ 316,58@. E em Mato Grosso, a média fechou cotada a R$ 334,63/@.

Em Minas Gerais e em algumas áreas da região Norte a logística é um grave complicador, com estradas em péssimas condições. “O pecuarista ainda conta com uma boa capacidade de retenção na região Centro-Norte, considerando a excelente condição das pastagens”, avalia Iglesias.

Arroba sobe ou desce?

Após a primeira quinzena de janeiro com valorizações expressivas, o mercado do boi gordo tem registrado uma pressão negativa nos preços da arroba nas praças que atendem a demanda do mercado interno.  Com o período de segunda quinzena, acabou impactando o escoamento da carne bovina no atacado e isso também limitou o movimento de alta da arroba. 

Segundo o analista de Mercado da Scot Consultoria, Felipe Fabbri, os estados de Goiás e Tocantins tiveram uma pressão baixista mais acentuada nos últimos dias. “Esse cenário de baixa está ligada a demanda em ritmo lento e que deve seguir no mercado no curto prazo. A nossa análise aponta que o mercado deve seguir com cotações firmes ao longo deste ano de 2022”, comentou. 

Com base nas 32 praças monitoradas pela Scot Consultoria, houve reajuste médio nos preços de R$ 0,64/@ no comparativo diário. 

“Os animais destinados ao mercado doméstico desfrutam de uma situação diferente, considerando as dificuldades presentes no mercado da carne neste início de ano”, afirmou o analista da Safras&Mercado. 

O pecuarista precisa ficar atento as escalas de abate que, neste momento, estão confortáveis e deixam a indústria com um melhor poder de barganha, já que a China também entrará de recesso. Já na B3, o vencimento para fev/22 já detêm mais liquidez e encerrou o dia cotado a R$ 337,90/@, desvalorizando -0,52% no comparativo diário. 

Giro do Boi Gordo pelo Brasil

  • No interior de São Paulo, os preços ficaram em R$ 341 por arroba, contra  R$ 342 na quarta-feira (19).
  • Em Minas Gerais, negócios em R$ 332 a arroba, sem alterações.
  • Em Goiânia (GO), cotação em R$ 322 a arroba, no comparativo com R$ 320 do dia anterior.
  •  Em Mato Grosso do Sul, a arroba do boi gordo ficou posicionada em R$ 319  a prazo, estável.
  • Em Mato Grosso, a arroba foi indicada em R$ 316, contra R$ 314 do dia anterior.

Atacado

Segundo Iglesias, o mercado atacadista apresenta preços em queda no decorrer desta semana. O ambiente de negócios sugere para continuidade desse movimento no curto prazo, em linha com a reposição mais lenta entre atacado e varejo no decorrer da segunda quinzena do mês. 

Ele lembra que o consumidor doméstico permanece descapitalizado, ainda lidando com despesas tradicionais do primeiro bimestre, a exemplo de IPTU, IPVA e compra de material escolar. 

O quilo do quarto traseiro apresenta queda de R$ 0,20, e foi precificado a R$ 24,70. O quarto dianteiro foi cotado a R$ 15,90, por quilo, queda de R$ 0,10. A ponta de agulha segue posicionada a R$ 15,40, o quilo.

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com