Frigorífico “dá calote” de R$ 70 mi e diz “valor é baixo”

PARTILHAR

Após grande prejuízo de R$ 70 milhões causado aos pecuaristas, em mais uma estratégia de renegociação, frigorífico diz que dívida é “valor pequeno”, veja o vídeo!

Após o não pagamento das dívidas, e um atraso de quase três meses, O Rio Beef, em Rondônia, marcou uma reunião para tratar do assunto e, mais uma vez, acabou não cumprindo com a palavra e, para piorar, o dono da indústria, LUCAS ZANQUETTA, debochou do valor que deve aos pecuaristas. Confira o vídeo abaixo e entenda melhor a história!

Uma reunião entre 250 pecuaristas e representantes do frigorífico Rio Beef, em Ji-Paraná, aconteceu na tarde da terça-feira (18), em um restaurante da cidade, porém não chegou a um acordo sobre o pagamento de uma dívida de mais de R$ 70 milhões de reais da empresa com os produtores rurais.

O encontro durou mais de três horas e segundo um dos credores, “houve muito blá-blá-blá e pouca ação”, afirmou um deles por mensagens de WhatsApp. Além disso, não foi entendido, por completo, quem são os reais donos, os envolvidos nas operações. A empresa realizou várias trocas de Diretoria, CNPJ e outras informações junto a Receita Federal e Junta comercial da cidade.

Nomes conhecidos como envolvidos na operação, desde o início, são o Lucas, Eduardo e o Caio. Conforme é possível verificar em um dos vídeos abaixo, quem esteve presente na reunião e “deu as caras”, como disseram os pecuaristas, foi o próprio Lucas, o mesmo envolvido no escândalo milionário da New Beef, que hoje completa um ano de dívidas atrasadas.

Um comunicado distribuído aos pecuaristas antes do encontro trazia um texto que “na oportunidade, será apresentado um novo plano de atuação da empresa para 2022, bem como a solução para questões financeiras pendentes”, o que não aconteceu.

Segundo as informações divulgadas, apuradas pelo Compre Rural, os pecuaristas estão com dinheiro a receber desde novembro do ano passado. A dívida já soma mais de R$ 70 milhões, sem contar os pagamentos atrasados que os funcionários não receberam, já que a indústria segue fechada, aguardando posicionamento da Diretoria.

Fonte da informação será preservada

Dono do frigorífico diz que dívida é “valor pequeno”

Um grande momento, segundo os pecuaristas, que causou ainda mais revolta na classe que possui crédito a receber, foi quando o LUCAS ZANQUETTA, atual dono da operação, disse que o valor que estava atrasado era um valor baixo, perto do que eles estão acostumados a trabalhar. Veja o vídeo abaixo!

O questionamento de muitos nesse momento é: “Como um valor pode ser baixo, mas não ser pago?”. Além disso, onde foi parar o dinheiro dessa carne que foi vendida, onde estão os juros e correções do rendimento deste valor?

Além disso, o Diretor Lucas, assumiu que o frigorífico não tinha condições de quitar as dívidas e de se manter em operação, desde o dia 30 de outubro de 2021. Mesmo assim, a indústria continuou a operar e a comprar novos lotes para abate com a promessa de pagamento futuro, o que não ocorreu até o momento.

Valor é pequeno?

Afinal de contas, segundo alguns envolvidos na operação, a classe produtora não irá cair nessa conversa, não irá vender boi gordo para essa empresa. A proposta de recuperação, envolveria a nova venda de lotes para que a indústria volte a atuar e com isso possa “gerar caixa” para realizar a quitação das dívidas, juntos aos pecuaristas.

Segundo as informações, a planta frigorífica está inoperante a mais de 20 dias, alegando que não há bois suficientes na região que permitam a operação da indústria. Além de ser infundada tal alegação, os pecuaristas esclarecem que não foi feito nenhuma tentativa de compra pois os diretores e representantes não tem credibilidade na região!

Pecuarista desabafou depois do encontro: “Estamos muito revoltados com a forma com que fizeram, além de não pagar ainda acham que somos palhaços, querendo comprar gado e falando que eles precisam dos produtores”.

Outros momentos da reunião

Pecuaristas estão com dinheiro a receber desde novembro do ano passado.

Entenda a história

O RioBeef é uma empresa que nasceu em 2019, visando sanar uma lacuna de mercado ocorrida nesse mesmo ano na cidade de Ji-Paraná, na Região central do Estado de Rondônia. Segundo os produtores local, uma nova sociedade foi criada com o grupo Ozfrig, visando trazer mudanças positivas para a região, mas não foi o que aconteceu na prática.

No RioBeef o produtor será valorizado pelo seu trabalho, recebendo justamente pelo seu papel desempenhado.” Essa era uma frase que está no site da empresa, mas infelizmente diversas são as dívidas criadas que, segundo a estimativa, já soma mais de R$ 70.000.000,00 em cargas negociadas.

Infelizmente diversas são as dívidas criadas que, segundo a estimativa, já soma mais de R$ 70.000.000,00 em cargas negociadas.

Veja o vídeo do lançamento e os prazos de renegociação das dívidas que foi obtido pela nossa equipe:

A reportagem tentou contato com o Lucas e seus assessores, porém não foi dado nenhum retorno até o fechamento desta matéria. Deixamos o espaço aberto para nota ou comunicado da empresa.

A OzFOUR Investments surgiu da unificação de grandes empreendedores que, há mais de 20 anos, investem em setores brasileiros, que são de importância relevante no cenário mundial. AGROBUSINESS, MINERAÇÃO, SAÚDE e EDUCAÇÃO. A partir da identificação de sinergias dentre setores, com ações integradas e focadas em M&A e private equity.

A pergunta que fica neste momento, em toda a classe produtora da região, dos credores, funcionários e acionistas é: “até onde vai essa falta de respeito com o produtor que está dia após dia, lutando no campo, engordando os animais, produzindo com sustentabilidade e entregando uma matéria prima de qualidade?”

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com