Arroba subindo e abrindo a semana valendo R$ 230

Arroba subindo e abrindo a semana valendo R$ 230

PARTILHAR
Confinamento e Boitel VFL BRASIL. Foto: Marcella Pereira

Mercado do boi gordo mantém viés de alta, sustentado pela escassez de oferta de boiadas e pelo avanço dos embarques de carne bovina. Confira!

O preço do boi gordo encerrou julho marcando recorde nominal para o mês, com negociações em patamares acima de R$ 225/@ em São Paulo, relata a Agrifatto. “Para animais destinados à exportação, valores a R$ 230/@ vão se tornando referência nas praças paulistas”, destaca a consultoria.

A forte pressão altista é sustentada pela escassez de gado terminado em todo o País, além do bom desempenho das exportações de carne bovina. “A maior parte dos pecuaristas detém poucos lotes de boiadas e aqueles que dispõem de melhores condições para manter uma alimentação regular do gado optam por segurar a mercadoria à espera novas altas no curtíssimo prazo”, relata a IHS Markit.

Do lado da indústria, continua a consultoria, o resultado das vendas de carne no final de semana, que marcou o início do mês de agosto, injetou certa confiança nos agentes que, por sua vez, se posicionaram mais ativos no mercado do que o comportamento esperado para uma segunda-feira.

No atacado, depois das altas registradas na semana passada, os preços dos principais cortes bovinos se sustentaram firmes e estáveis neste começo de semana, segundo apurou a IHS. Com a entrada de massa salarial de parte da população consumidora neste início do mês, o consumo de carne bovina nos grandes centros urbanos demonstrou certo avanço, num momento em que o setor opera com produção muito regulada.

Na avaliação da IHS, as plantas habilitadas para embarques conseguem pagar mais caro pela boiada gorda sem desequilibrar tanto as suas margens operacionais, sobretudo em virtude da desvalorização cambial do real frente ao dólar, o que torna o produto brasileiro mais competitivo no mercado internacional.

Agrobrazil

O fechamento do indicador do Cepea fechou com grande alta, valendo R$ 227,80/@. No app da Agrobrazil, a média pra a praça de São Paulo ficou em R$ 228,05/@, com preços variando de R$ 222 a R$ 230.

Pecuaristas informaram negócios em Novo Horizonte/SP para o Boi China de R$ 230,00/@, à vista e com data para o abate em 13 de agosto. Já em São João de Boa Vista/SP, o boi com padrão exportação foi comercializado a R$ 230,00/@, à prazo com sete dias para pagar. Demanda externa segue aquecida!

O boi para o mercado interno, na região de Três Lagoas/MS, foi comercializado a R$ 217,00/@, à prazo com 7 dias para pagar e com data para abater em 05 de agosto. Já em Padre Bernardo/GO, o valor negociado foi de R$ 220,00/@, à prazo com trinta dias para pagar e com data programada para abater em 05 de agosto. Preços também seguem em alta!

Giro pelas praças

Na praça paulista, o valor do boi gordo se manteve firme nesta segunda-feira, estável a R$ 229/@, a prazo, de acordo com levantamento da IHS Markit.

Em Rondônia, as compras realizadas hoje foram feitas para preencher as encurtadas escalas de abate que, para algumas indústrias frigoríficas, atendem compromissos ainda dos próximos dois dias, informa a consultoria.

Em Colíder, no Mato Grosso, diante da oferta escassa e do ritmo regular das exportações, as indústrias pagaram mais caro para conseguir preencher as programações de abate desta semana.

Em Mato Grosso do Sul, a baixa disponibilidade de matéria prima tem limitado o fluxo de negócios e as indústrias operam com escalas apertadas, de apenas três dias úteis. Os negócios foram realizados a valores mais altos no dia de hoje.

Compre Rural com informações da Agrobrazil, Agrifatto e Portal DBO

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com