Arroba vai disparar e pode bater R$ 315 nesta semana

Arroba vai disparar e pode bater R$ 315 nesta semana

PARTILHAR

Com a China voltando as compras e o dólar disparando frente ao real, o mercado vai disparar nesta semana; Veja o que pode subir ou derrubar os preços!

Na primeira semana de março, o mercado do boi gordo começou a receber os primeiros lotes de animais terminados a pasto, embora ainda num ritmo bastante lento e sem impacto para trazer mudanças para baixo nos preços da arroba. Diante de um aumento nas exportações e maior competitividade da carne bovina brasileira os preços podem disparar nesta semana. Confira!

Se o pecuarista queria receber um valor mais alto pela arroba do boi gordo, o momento pode estar chegando para aqueles que possuem animais com padrão exportação. Preço da arroba vai bater R$ 315,00, afirmam os analistas!

Fechamento da semana

Em São Paulo, o valor médio para o animal terminado chegou a R$ 304,92/@, na sexta-feira (05/03), conforme dados informados no aplicativo da Agrobrazil. Já a praça de Goiás teve média de R$ 290,09/@, seguido por Mato Grosso Sul com valor de R$ 290,03/@.

O preço da novilha gorda subiu R$1,00/@ na comparação diária, e está sendo negociada em R$295,00/@, preço bruto e à vista. A vaca gorda ficou estável, cotada em R$280,00/@, nas mesmas condições.

A semana foi marcada por altas expressivas do boi gordo, principalmente em São Paulo. A arroba chegou a ser cotada a R$ 310, preço bruto e à vista. A única dificuldade que as indústrias encontram neste momento é em relação ao mercado interno, com a crise econômica e novos fechamentos do comércio se tornou impraticável o aumento dos preços dos cortes.

Fora isso, as indústrias habilitadas para exportação estão a todo vapor com a nova retomada da China as compras, após o Ano Novo Lunar. Esse retorno culminou com a alta do dólar e trouxe maior competividade para a carne bovina brasileira. Esses fatores estão fazendo com que as indústrias briguem para garantir a baixar oferta de animais prontos para abate nas praças pecuárias.

Muitos pecuaristas optam por cadenciar as vendas, segurando a boiada já terminada nas fazendas. A estratégia é barganhar melhores condições de preços de olho nos elevados custos de produção, tentando garantir melhor margem de lucro.

“Tem que ver se compensa. Se a arroba subir 1% e você gastar mais R$ 30 para manter o boi vai ter valido a pena? Tem que fazer essa conta e se prevenir no mercado futuro”, disse o analista de mercado da Agrifatto, Yago Travagini .

Com isso, esperamos que a arroba acabe chegando a R$ 315,00 no caso de animais com qualificados para atender ao mercado da China (bovinos jovens, com até 30 meses de idade).

Para o produtor que espera a arroba do boi gordo ainda mais alta, Travagini destaca que há um grande entrave: a demanda interna, que não está conseguindo absorver o valor do quilo da carne bovina. “Mas se a China continuar cada vez mais compradora e o dólar continuar subindo, podemos ter negócios a R$ 315, principalmente para os animais padrão China”.

Escalas de abate

O mercado ainda segue com escassez de oferta, porém com o aumento na cotação do dólar frente ao real (superior a R$ 5,60), a demanda externa está aquecida. Houve pequena recuperação no mercado interno, porém as operações seguem em mar de incertezas.

  • Em São Paulo, as programações de abate encerraram a semana com 6,0 dias úteis, aumentando um dia na comparação semanal.
  • Já em Goiás e Mato Grosso do Sul, as indústrias encerraram a sexta-feira respectivamente com 3,0 e 5,0 dias úteis.
  • Na região mato-grossense e mineira, as programações de abates seguiram sem muitas mudanças, permanecendo estáveis. Os trabalhos fecharam a semana com 5,0 dias úteis em ambas as regiões

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com