Arroba valoriza quase 50% em um ano, confira!

Arroba valoriza quase 50% em um ano, confira!

PARTILHAR
Confinamento e Boitel VFL BRASIL. Foto: Marcella Pereira

Boi gordo foi uma das commodities que mais se valorizou no período de um ano; Confira além do boi gordo, a evolução do milho e soja no relatório abaixo!

O ano de 2020 foi marcado por recordes na série de exportação brasileira de carne bovina. O Brasil exportou a maior quantidade de carne total (in natura, salgada, processada, miúdos e tripas) jamais vista na história do país, ao todo foram embarcados para o exterior o equivalente a 2,12 milhões de toneladas, 7,3% superior a 2019.

A forte demanda se deu majoritariamente pelos chineses, que foram os maiores protagonistas das negociações realizadas.

O valor pago pela tonelada foi em média de US$ 4.053,45/tonelada em 2020, 4,0% maior do que no ano de 2019, porém abaixo que nos anos de 2011 a 2015, que juntos, tiveram uma média de US$ 4.352,36/tonelada. Dentre os meses de janeiro/20 a janeiro/21 a variação no preço do boi gordo obteve um reajuste positivo de 49,6%.

O preço pago pela arroba variou de R$ 186,10/@ até atingir R$ 292,00/@, encerrando o ano com uma média de R$ 226,18/@ segundo levantamento realizado pelo Cepea. Em resumo, 2020 refletiu um avanço no valor pago pela arroba do boi gordo, perante os 4 últimos anos (2016 a 2019), e 2021 vem seguindo o mesmo ritmo.

Milho

As exportações brasileiras de milho fecharam o ano de 2020 em queda, atingiram 34,50 milhões de toneladas no acumulado segundo o boletim Conab, sendo 16,0% inferior as exportações da safra 2018/2019, que bateram recorde de envios do cereal para fora do país.

O valor pago pela tonelada de milho foi de US$ 198,00/tonelada em janeiro/21, sendo 13,7% superior ao mesmo período no ano de 2020. A receita referente as exportações do grão em 2020 foi de aproximadamente US$ 1.938,812 milhões, sustentado pelo acréscimo do preço do cereal, o qual encerrou 2020 com um aumento de 26,1% na comparação dos últimos 12 meses. 

Mesmo com queda no número de embarques, o ano foi marcado pela maior produção do grão no Brasil, foram colhidas 102,51 milhões de toneladas, 2,4% superior ao ano de 2019.

O clima favorável de 2020 permitiu uma janela de plantio de ideal para a segunda safra de milho nacional, resultando em alta produtividade no período. No mercado interno, a média obtida em todo ano foi de R$ 58,69/sc, sendo R$ 82,67/sc o maior índice registrado.

Soja

Para a soja em 2020, as exportações podem não ter quebrado o recorde, porém, os resultados obtidos valem uma ressalva. De janeiro a dezembro o Brasil exportou o equivalente a 82,97 milhões de toneladas do grão, 12% superior a 2019, que havia enviado para fora do país 74,06 milhões de toneladas, de acordo com a Secretaria do Comércio Exterior (Secex). Em receita, o resultado acumulado do ano foi de US$ 28,56 bilhões, contra US$ 26,07 bilhões arrecadados em 2019.

Devido a bons resultados obtidos em 2020, a área plantada em 2021 contou com um acréscimo de 3,3%, totalizando 38,17 milhões de hectares semeados com a oleaginosa. Em termos de produção, a expectativa é de que a safra 2020/2021 supere a passada, porém devido ao clima não tão favorável para a cultura, a produtividade média brasileira tende a cair em 2021.

Para  mercado interno os preços foram de R$ 87,39/sc em janeiro/20, para incríveis R$ 167,85/sc em janeiro/21. O ano se encerrou com uma média de R$ 121,23/sc. Com a demanda chinesa aquecida, a tendência é de alta nos preços para os próximos períodos.

Fonte: Agrifatto

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com