Bezerro recuou R$ 148/cab; Agora é a hora de comprar?

PARTILHAR
Foto: Marcella Pereira

Descompasso entre oferta e demanda reduz preços no mercado de reposição e a relação de troca fica mais favorável; Negociação de R$ 26/kg chama atenção!

Os preços de gado para reposição se mostraram mais frágeis ao longo da última semana, pressionados pela baixa liquidez e pelo crescimento na oferta de venda entre algumas praças pecuárias do País. Sendo assim, o valor elevado do boi gordo ajudou a aumentar a relação de troca, deixando a balança comercial mais favorável aos recriadores.

Embora a relação de troca continue vantajosa para os recriadores e invernistas, a ponta compradora não tem se mostrado tão ativa nas comercializações. O principal fator está nas condições climáticas adversas no Brasil são apontadas como principais fatores para a redução dos negócios.

Segundo os dados do Cepea, o indicador do bezerro sul mato grossense registrou forte desvalorização ao longo do mês de janeiro. Apenas neste período, os preços tiveram um recuo de -4,96%, ficando cotado a R$ 2.847,35 por cabeça, acumulando um recuo de R$ 148,63/cab. No curto prazo, de acordo com analistas, as cotações devem seguir pressionadas diante das ofertas.

Os preços seguem pressionados mas ainda giram em torno de R$ 14,00 a R$ 15,50/kg. Segundo o app da Agrobrazil, os pecuarista de Uberlândia/MG, pagou o preço de R$ 3.000,00 por cabeça, no lote de peso médio de 199 kg. Sendo assim, os bezerros Nelore tiveram preço de R$ 15,08/kg, valor que é próximo a média de preço no mercado pecuário.

Uma negociação de Bom Sucesso, no Paraná, chamou atenção no mercado pecuária, porém é preciso pontuar alguns detalhes sobre a negociação que não representa referência. Primeiro, são animais sem raça definida e com peso de 126 kg – muito abaixo da média de 220 kg para a categoria – e com isso o valor atingiu R$ 26,67/kg. Veja a imagem abaixo.

Porém, na comparação anual, considerando o valor médio de todos os estados pesquisados, os animais anelorados estão com preços mais altos neste início de 2022, acrescenta a Scot. Não devemos observar uma grande enxurrada de bezerros ainda neste ano, já que a retenção de matrizes deve impactar apenas em 2023.

A título de comparação, mostramos abaixo os preços, por estado, para os animais de até 6,5@, segundo a Scot Consultoria:

  • MT: R$ 3.000,00
  • MG: R$ 2.920,00
  • SP/GO/RO: R$ 2.860,00/ R$ 2850,00
  • MS: R$ 2.880,00
  • PA/AC: 2.300,00

Pecuarista segurando as compras

“Seca e períodos de estiagem em áreas da região Sul e em localidades nos Estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul têm desestimulado os compradores”, informa a IHS.

Paralelamente, na faixa centro-norte do País, é o excesso de umidade que prejudica o manejo de animais no campo e afasta os compradores dos negócios, acrescenta a consultoria.

Diante da menor procura, houve excesso de oferta de animais para reposição, o que contribui para a redução nas cotações. Segundo a IHS, as quedas foram mais severas em animais mais novos (bezerros e bezerras).

Giro pelas praças pecuárias

Na região Sudeste, o mercado também perdeu liquidez e trabalha com ajustes negativos nos preços diante da fraca procura.

Na região Centro-Oeste, em áreas do MS, a seca foi responsável pelo aumento na oferta local – com maior disponibilidade de animais para venda, os preços caíram.

No Mato Grosso do Sul, há relatos de negócios com bezerros e bezerras fixados a valores abaixo dos tabulados devido à dificuldade de negócios, informa a IHS.

Na região Sul do País, o mercado também segue prejudicado pela seca, visto que várias cidades no RS e PR decretaram emergência. Nessas regiões, a oferta de boiada magra aumentou, enquanto que a procura diminuiu muito, relatam os analistas.

Na região Norte, sobretudo em algumas localidades no TO e PA, a oferta de animais para reposição cresceu muito em função das fortes chuvas e áreas alagadas. Problemas com manejo de animais no campo desencadeou um forte movimento de venda entre as praças locais, informa a IHS.

Uma vaca no cio rodeada de bezerros Nelore PO - precocidade sexual
Foto: Fazenda Modelo

Resumidamente, conforme historicamente acontece, o mercado brasileiro de animais para reposição ficou praticamente estagnado, apesar das recentes valorizações nos preços do boi gordo. Além disso, os leilões devem voltar a ocorrer apenas nesta segunda quinzena do mês, com maior oferta de animais e lotes maiores sendo ofertados.

Na avaliação dos analistas, o mercado deverá se aquecer daqui pra frente, porém as cotações não devem recuar tanto quanto era esperado para o período. Agora pode ser um excelente momento para poder garantir uma reposição mais barata, garantindo assim uma melhor relação de troca com o boi gordo.

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com