Boi Brasileiro valendo mais que Boi dos EUA, pode isso?

PARTILHAR

Os preços estão disparando em todo o mundo, e o destaque fica para o Brasil, mas receber mais nem sempre significa ter um lucro final maior; Confira!

O boi brasileiro, ou melhor, o boi verde amarelo vem ganhando espaço no mundo, o país é considerado líder na produção e exportação de carne bovina. A valorização da carne bovina brasileira no mercado externo é um fator que vem impulsionando este cenário, que reduziu ainda mais a diferença entre os concorrentes mundiais!

Em um momento histórico para a pecuária brasileira, os preços seguem se valorizando, puxados pela grande demanda global do produto e a maior competitividade deste no mercado externo. No fechamento da última semana, entrou no radar o preço do boi gordo no mundo, um ranking de preços da arroba considerando os principais produtores e exportadores de carne bovina.

O preço do boi gordo brasileiro só perde hoje, em dólares, para os valores de venda do gado australiano, segundo dados levantados pelo divulgados pela Scot Consultoria e avaliados pela Agrobrazil, confira os dados abaixo elaborados pelo Compre Rural.

A pecuária brasileira já mostrou sua força e agora impacta também na qualidade dos animais, atualmente produzindo um boi jovem que atende a mercados exigentes. Diante disso, aliado a um mercado externo que cresce a sua demanda pela proteína, os preços do boi brasileiro no mundo está disparando, frente aos seus concorrentes!

Em comparação gradual, o boi verde e amarelo está apregoado a U$ 62,41 dólares, enquanto o boi vermelho e branco segue estável a U$ 63,00 dólares a mais de uma semana. Ou seja, com essa diferença de menor de um dólar, esse é um dos momentos históricos e mostra, para o mundo, a grande pressão que o Brasil impõe frente aos seus concorrentes!

OBS.: Apesar da Irlanda aparecer em segundo lugar, este não é um concorrente forte no mercado para o Brasil, sendo assim, não levamos em conta a sua colocação na discussão do tema.

A expectativa é boa para o mercado internacional de proteínas, tendo em vista que a China, principal centro consumidor do mundo, ainda segue tentando refazer o seu plantel de suínos – afetado pela PSA – e, com isso, continua importando grandes quantidades de carne bovina.

Diante do que foi citado e a expectativas para o mercado ao longo deste ano, devemos observar o boi gordo alcançar até o patamar de R$ 340,00, no físico e no futuro, para o mês de outubro e novembro. Já a atenção se volta para 2022 onde devemos observar aumenta da oferta de animais no mercado diante da grande retenção de fêmeas!

Podemos ver o boi brasileiro ultrapassar o boi norte americano em um momento histórico para pecuária mundial!

Thiago Pereira

Os preços do boi gordo pelo mundo seguem em patamar elevado, não sendo uma exclusividade do Brasil. A baixa oferta de animais terminados para abate é global, tendo em vista o aumento da demanda por carne bovina e as dificuldades produtivas que afetam o mundo – condições climáticas e competividade por insumos – são fatores a serem avaliados. Mas, o Boi Brasileiro valendo mais que o Boi dos EUA, pode isso?

Hoje, de acordo com dados da Athenagro, a produtividade brasileira média atual está por volta de 65 quilos de carcaça (carne com osso) por hectare/ano. No entanto, há espaço para mais.

Boi Gordo no Brasil

O indicador do boi gordo do Cepea, calculado com base nos preços praticados em São Paulo voltou a apresentar grande valorização, a cotação voltou ao patamar recorde de R$ 320,90 por arroba. Com isso, no acumulado do ano, o indicador teve uma alta de 22%. Em 12 meses, os preços alcançaram 52,16% de valorização.

Em São Paulo, o valor médio para o animal terminado chegou a R$ 321,62/@, na sexta-feira (18/06), conforme dados informados no aplicativo da Agrobrazil. Já a praça de Goiás teve média de R$ 304,31/@, seguido por Mato Grosso Sul com valor de R$ 314,33/@. Esse é o novo recorde para a praça de São Paulo, falando em preço médio!

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com