Boi recua R$ 5,00/@ com frigoríficos “aproveitando” o cenário

PARTILHAR
@karollunam

Com efeito negativo nos preços da arroba, a pressão dos frigoríficos se concretiza; Valore recuaram em importantes praças pecuárias, até onde vai a queda?

O mercado físico de boi registrou preços mais baixos nesta terça-feira, 10, com o mercado respondendo as pressões negativas da indústria em importantes praças pecuárias pelo país. A tendência de curto prazo ainda remete a movimentos de pressão de queda no curto prazo, considerando que os embargos por parte da China ainda vigoram e o mercado interno segue patinando.

Ainda nos fatores que trazem “munição” para a indústria adotar essa postura está a posição confortável em relação as suas escalas de abate, que em média atendem a 7 dias úteis. Além desse fator, os pecuaristas não conseguem reter os animais nos pastos, já que a seca no Centro- Oeste vem deteriorando as pastagens a medida que avança.

Após semanas de estabilidade, cerca de 15 dias, a Scot Consultoria, apontou uma retração nas cotações paulistas, com os preços do boi gordo e da novilha gorda recuando R$2,00/@ na comparação feita dia a dia. Assim, a referência para o boi, vaca e novilha gordos está, respectivamente, em R$313,00/@, R$279,00/@ e R$310,00/@, preços brutos e a prazo.

Com o embargo de grandes indústrias e a dificuldade logística, a cotação do boi China caiu R$5,00/@, estando apregoada em R$325,00/@. Entretanto, a indústria ainda paga alguns preços fora da curva, como a negociação informada no app da Agrobrazil, em Sandovalina, com valor de R$ 340,00/@ com pagamento em 08 dias e abate para o dia 18 de maio.

Ainda segundo o app, a média dos valores da arroba permaneceram estáveis em Mato Grosso do Sul, Goiás e Mato Grosso, com valores de R$ 290,17/@, R$ 293,00/@ e R$ 303,40/@, respectivamente. Entretanto, para a praça de São Paulo, a queda foi grande e trouxe surpresa para alguns pecuaristas, a média recuou R$ 1,57/@, ficando cotada a R$ 323,85/@.

O Indicador do Boi Gordo – Cepea/Esalq, continua a acumular quedas consecutivas, chegando a 1,30% na comparação mensal. Sendo assim, os preços se saltaram de R$ 331,30/@ para o patamar de R$ 330,50/@, conforme o gráfico abaixo. Ainda segundo a instituição, o valor da arroba em dólar segue cotada a US$64,49/@.

Após um período de estabilidade, a crescente oferta de animais fez com que o preço do boi gordo recuasse na última terça-feira. No estado de São Paulo o animal pronto para o abate é negociado em média por R$ 310,00/@. Na B3 o contrato futuro com vencimento para mai/22 encerrou o pregão sem variações, cotado a R$ 319,25/@.

Segundo a consultoria, a maior entrada de lotes ao mercado e a cautela nas aquisições de gado por parte de muitos frigoríficos abriram espaço para os cortes nas indicações de compra. “A liquidez nos negócios com boi gordo evoluiu de forma consistente, o que permitiu os ajustes negativos nos preços da arroba, favorecendo também o avanço das escalas de abate de algumas indústrias brasileiras”, destaca a IHS.

Porém, em alguns casos, os frigoríficos relataram a estratégia de não estender muito as programações de abate, temendo formação de estoques de carne bovina nas câmaras frias.

Isso porque, observa a IHS, as indústrias exportadoras têm manifestado preocupação relação às recentes decisões do governo chinês, que vem suspendendo, temporariamente, os embarques de algumas unidades brasileiras de carne bovina, alegando questões sanitárias relacionadas ao vírus da Covid-19.

Além disso, a demanda doméstica de carne bovina tende a perder força a partir da segunda quinzena de maio, um reflexo do menor poder aquisitivo da população brasileiro, devido ao maior distanciamento do pagamento dos salários, feito sempre no início de cada mês.

Giro em outras praças pecuárias

Oeste do Maranhão

Alta de R$3,00/@ para as fêmeas na comparação diária. A cotação do boi gordo está estável. A referência para boi gordo está em R$282,50/@. Vaca e novilha gordas estão sendo negociadas em R$266,00/@. Preços a prazo e livres de Funrural.

Triângulo Mineiro

A boa oferta de fêmeas pressionou as cotações no comparativo diário. O preço da vaca gorda caiu R$1,00/@ e o da novilha gorda caiu R$3,00/@. Para o boi gordo os preços estão estáveis.

Com isso, a cotação do boi, vaca e novilha gordos está em R$295,00/@, R$260,00/@ e R$285,00/@, respectivamente, preços brutos e a prazo.

Atacado

Em relação ao atacado, as vendas voltaram a ser consideradas fracas e os produtos enfrentam uma certa dificuldade no escoamento no estado de São Paulo, mas todos os cortes seguem com os preços estáveis, assim como a carcaça casada, que continua sendo negociada em média por R$ 20,00/kg.

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com