Cerca de 3.000 caminhões de soja estão atolados no Pará!

Cerca de 3.000 caminhões de soja estão atolados no Pará!

PARTILHAR
Foto Divulgação.

Cerca de 3.000 caminhões com grãos aguardam para descarregar no Pará, diz Abiove; Problema de logística afeta a colheita da safra de soja. Veja!

Cerca de 3.000 caminhões carregados com grãos para exportação estão parados próximos a uma estação de transbordo de carga localizada no rio Tapajós, no momento em que o Brasil começa a escoar sua nova safra de soja pelos portos do norte, segundo a Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais (Abiove).

Um fila se formou em um trecho sem pavimento de sete milhas na rodovia BR-230, no oeste do estado do Pará, disse a Abiove à Reuters.

A longa fila de caminhões ilustrações como recorrentes mazelas logísticas do Brasil, já que o maior produtor e exportador mundial de soja continua dependente deste modal para movimentar sua enorme produção agrícola.

Neste ano, o país enfrenta um desafio adicional por atrasos na produção da oleaginosa, que foram causados ​​pelo plantio tardio e chuvas durante um colheita. Isto levou a compradores liderados pela China a procurar o produto nos Estados Unidos, onde uma janela de exportação está se alongando por mais tempo do que o normal em 2021.

Autoridades da prefeitura de Itaituba, que administra o trecho de sete milhas, não foram encontradas para comentar.

“Começo de safra é sempre assim,” disse por telefone à Reuters o presidente-executivo da Abiove, André Nassar, citando as dificuldades para o tráfego de caminhões nesta época do ano por causa das chuvas na região amazônica. “Depois as empresas vão organizando melhor o fluxo.”

Terminais de transbordo em Miritituba (PA) (Foto: Fernando Martinho)

Os terminais de grãos no rio Tapajós – onde transações como a Bunge e a Cargill operam – são abastecidos pela rodovia BR-230, que é administrada pelo governo federal, exceto pelo trecho final de sete milhas, disse a Abiove. 

Na época da colheita, ela fica lotada de caminhões com grãos, que chegam da intersecção com a BR-163, estrada que corta de Mato Grosso, maior estado agrícola do Brasil.

Nassar afirmou que a situação deve se normalizar em alguns dias na área da estação de transbordo.

Fonte: Reuters

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com