China está com “fome voraz” por produtos agrícolas

China está com “fome voraz” por produtos agrícolas

PARTILHAR
Montagem: Compre Rural

O país tem aumentado suas compras de produtos de proteína animal em um momento em que o maior consumidor de carne tenta se reestruturar!

A China aumentou as importações de produtos agrícolas que vão de milho a carne suína e sorgo no mês passado, sinalizando uma recuperação da demanda por proteína no país mais populoso do mundo.

As importações de milho, usado na ração animal pelo segundo maior consumidor do mundo, subiram para uma alta de três anos em julho, à medida que o país buscava mais suprimentos para cobrir uma escassez cada vez maior e baixar os preços.

China ‘tem fome’ de produtos agrícolas importados em meio à recuperação da demanda

O clima seco nas regiões de cultivo do nordeste da China está ameaçando a produção em um momento em que a demanda está crescendo na indústria de suínos e aves. A nação asiática tem comprado grandes quantidades de milho dos Estados Unidos, o que de certa forma cumpriu seus compromissos no acordo comercial com os Estados Unidos.

Um aumento nas remessas de entrada pode dar suporte adicional ao milho de Chicago, que avançou mais de 7% neste mês. Os futuros dos EUA para entrega em dezembro subiram tanto quanto 1,7% para US $ 3,5075 por bushel na terça-feira, um terceiro dia de ganhos. Os preços na China estão oscilando perto de uma alta de cinco anos devido a preocupações com a produção doméstica.

A China fez sua maior compra de milho dos EUA em julho, com cargas definidas para chegar aos portos chineses nos próximos meses. Está sob pressão para cumprir sua meta de 2020 para compras de produtos agrícolas dos EUA depois que os embarques no primeiro semestre do ano atingiram apenas 20% da meta de 2020 de US $ 36,5 bilhões, de acordo com o USDA.

Os negociadores comerciais dos EUA e da China discutiram a primeira fase do acordo comercial, com os EUA dizendo que ambos os lados viram progresso e estão comprometidos com seu sucesso. Os dois países conversaram sobre o que a China fez como parte do acordo, disse o representante comercial dos EUA em um comunicado. Ambos os lados concordaram em criar condições para levar adiante o acordo, disse o Ministério do Comércio da China em um comunicado separado na manhã de terça-feira em Pequim.

As importações da maioria das commodities agrícolas aumentaram no mês passado, de acordo com dados publicados pela Administração Geral das Alfândegas da China. As importações de milho aumentaram 136,5% em relação ao ano anterior, para 910.000 toneladas em julho, as compras de carne suína saltaram 120% para 430.000 toneladas, enquanto os embarques de carne bovina aumentaram 35% para 210.000 toneladas.

O país tem aumentado suas compras de produtos de proteína animal em um momento em que o maior consumidor de carne suína do mundo tenta reconstruir seu suprimento de suínos depois que surtos de peste suína africana devastaram rebanhos.

As importações de trigo saltaram 325% em julho, enquanto as compras de sorgo, amplamente utilizado para substituir o milho, aumentaram 147%. A China tem comprado cargas de sorgo no âmbito do acordo comercial com os EUA.

Fonte: Bloomberg

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com