Como avaliar o bem estar das vacas leiteiras

Como avaliar o bem estar das vacas leiteiras

PARTILHAR

Não é só o animal que sai beneficiado com esse processo, o produtor também obtém ótimos resultados, já que os índices reprodutivos e produtivos são melhores.

Animais confortáveis que vivem em boas condições produzem mais e com maior qualidade. De forma sucinta, é isso que o “bem estar animal” significa. Não é só o animal que sai beneficiado com esse processo, o produtor também obtém ótimos resultados, já que os índices reprodutivos são melhores, mais longevidade do rebanho leiteiro e redução de doenças.

Sinais de bem estar do rebanho

Não temos dúvida que o bem estar animal é fundamental para garantir conforto dos bovinos de leite. É um investimento que vale a pena e quando as vacas estão bem elas demonstram sinais disso, alguns deles são:

  • Durante o trajeto até a sala de ordenha quando as vacas caminham tranquilamente, mostram que elas estão confortáveis, sem pressa e apresentam boas condições de aprumos
     
  • Se os animais estão tranquilos e apresentam baixa frequência respiratória, significa que as vacas leiteiras estão bem adaptadas e confortáveis no ambiente
     
  • Ao iniciar a ordenha é possível verificar a interação entre o homem e o animal. Quando a teteira é inserida e a vaca permanece tranquila e se mexem pouco é perceptível que o manejo está acontecendo da forma correta.
     
  • Outro ponto que se pode identificar se há conforto na instalação é quando as vacas estão deitadas, a ponto de estarem relaxadas.  

Como avaliar o bem estar do rebanho?

O projeto Welfare Quality (2009) foi criado com o objetivo de padronizar o modo de avaliação do bem estar animal e analisar as informações para classificar às condições de bem estar. Os critérios para avaliação são divididos em quatro grupos:

1- Boa alimentação – em que é analisada a ausência de fome e de sede prolongada.

2- Boas instalações – em que é avaliado o conforto das vacas leiteiras durante o descanso e facilidade de movimento.

3- Boa saúde – é verificada a ausência de lesões, de doenças e de medo.

4- Comportamento adequado – se o animal possui possibilidade de expressar comportamentos sociais e a relação homem-animal

Indicadores de bem estar animal

Afim de especificar ainda mais essa avaliação, os critérios são medidos de acordo com alguns elementos:

Boa alimentação: ECC, fornecimento de água, limpeza dos bebedouros, fluxo da água, funcionamento dos pontos de água.

Boas instalações: tempo gasto para deitar, colisão com equipamentos, animais deitados parcialmente ou completamente fora da área de descanso, limpeza do úbere, limpeza dos flancos, limpeza da parte inferior das pernas, acesso à área livre.

Boa saúde: claudicação, lesões na pele, tosse, descarga nasal, descarga ocular, dificuldade respiratória, diarreia, descarga vulvar, CCS, mortalidade, distocia.

Comportamento adequado: acesso ao pasto, distância de fuga.

Como mensurar esses indicadores?

Após a seleção dos indicadores é preciso registrar a situação de cada um para saber o nível de bem estar das vacas leiteiras. Algumas informações são baseadas em registros zootécnicos da propriedade, outras são interpretadas através de fluxogramas e as mais utilizada são computadas em uma escala de três pontos, que varia de 0 a 2 (0-ruim, 1-moderado e 2-ótimo) para posterior análise.

Todas as medidas, após interpretadas e calculadas são situadas em uma escala que varia de 0 a 100 pontos (quanto mais próximo de 0, bem-estar ruim, quanto mais próximo de 100, bem-estar ótimo). Vale ressaltar que o produtor pode adaptar a pontuação de acordo com a necessidade da propriedade.

Quer saber mais sobre bem estar na fazenda de leite?

CLIQUE AQUI

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com

PARTILHAR
Somos uma escola de ensino técnico aberta a jovens de todo o Brasil que visam prosperar profissionalmente em fazendas, empresas ou instituições ligadas ao agronegócio.