Como criar porco caipira e ter um lucro alto, confira!

Como criar porco caipira e ter um lucro alto, confira!

PARTILHAR
Foto Divulgação.

O animal rende lucros, com opções de estrutura e alimentação de baixo custo; Confira como criar porco caipira e ter um lucro alto!

O comércio de exemplares de porco caipira, para carne ou banha, rende lucros para o produtor da criação, que pode ser uma atividade barata se realizada com opções de estrutura e alimentação de custo baixo.

Ao contrário dos grandes criatórios, que utilizam o sistema intensivo, visando atender às linhas de produção dos frigoríficos espalhados pelo país, a lida com um pequeno plantel de porcos é uma prática de subsistência mais acessível aos agricultores familiares. O manejo do animal em propriedades de poucos hectares, sítios ou chácaras ainda pode ser uma fonte de renda para o criador com o comércio do mamífero e de seus subprodutos para a vizinhança na região.

As vendas de exemplares, de banha ou de carne são, em geral, os principais objetivos da engorda de suínos no sistema extensivo. A disponibilidade de piquetes com boas condições de vegetação, secos e sem áreas úmidas ou alagadiças, já é um bom começo para uma atividade que requer poucos cuidados e tem baixo custo.

Prolífero e rústico, o suíno não demanda muito investimento para se desenvolver e, ao mesmo tempo, apresenta alta produtividade, oferecendo uma excelente oportunidade de empreendedorismo rentável para o produtor.

Por ser dócil, o porco é fácil de criar, inclusive tem a favor a capacidade de enriquecer a terra onde vive. Devido ao hábito de remover o solo, o animal permite a introdução de adubo em camadas mais profundas e, com suas dejeições, a restituição de elementos de valor para a fertilidade. O processo é importante para que não sejam despejados dejetos dos suínos em rios e córregos, evitando danos ao meio ambiente.

No entanto, é preciso seguir algumas medidas para garantir o êxito na criação. As instalações e equipamentos devem ser eficientes, a alimentação adequada e a proteção do rebanho contra enfermidades assegurada. Os animais também precisam ser de boa genética e procedência, condição fundamental para obter os benefícios da rapidez com que os porcos se multiplicam e atingir plantéis uniformes, de elevada precocidade, com  grande rendimento.

Por isso, é indicado selecionar a introdução de exemplares na criação, conhecendo a origem e a sanidade de cada um. Caso algum mostre sinais de doença, isole-o imediatamente para tratamento. Apesar de resistentes, a administração de vermífugos periodicamente, e de acordo com o peso vivo, é necessária, devido ao contato que têm com o solo. O acompanhamento de um médico-veterinário é importante para orientar sobre as vacinas exigidas.

Uma estrutura em desuso pode ser uma opção para adaptar o manejo e baratear os gastos. Madeiras, tijolos, telhas e outros materiais podem ser aproveitados para levantar baias, construir cochos e comedouros, além de fazer coberturas nos mangueiros, a fim de proteger os porcos de chuvas intensas e sol forte.

A simplicidade do ambiente não importa, porém, mantê-lo bem higienizado é essencial para conseguir um empreendimento bem-sucedido.

Mãos a Obra

INÍCIO 

O principal atributo para um porco na atividade de criação é ser precoce. Entre as raças brasileiras, a piau de alta rusticidade gera número elevado de leitões por parto e tem dupla aptidão, fornecendo carne e banha. Indicada para o sistema de engorda a campo, a nilo-canastra também é rústica, boa mãe, parindo de seis a oito filhotes por ninhada, e produz muita banha e toucinho. Também com bom rendimento em gordura e dotada de toucinho de excelente qualidade, a piratininga adapta-se bem em pastoreio e em pocilgas. O caruncho é a raça que pesa menos e de fácil aceitação em relação à variedade de alimentos, embora seja grande produtora de banha.

AMBIENTE 

Com condições adequadas é essencial para a criação, mesmo sendo os porcos animais robustos. Os suínos conseguem viver sob qualquer clima, porém, não gostam de temperatura e de umidade do ar elevadas. Em locais frios, é recomendado utilizar cortinas nas instalações e, em lugares quentes, equipamentos de ventilação. Em piquetes, é importante haver sombreamento, que pode ser fornecido com o plantio de árvores.

ESTRUTURA 

Pode ser uma pocilga ou chiqueiro erguido com materiais existentes na propriedade ou utilizando uma construção ociosa no local. Para que não seja exposto à insolação e tenha bom arejamento, certifique-se de que esteja voltado para a direção leste-oeste. Melhor se o terreno tiver pouco declive, para facilitar a drenagem da água e a movimentação dos porcos. Utilize piso de cimento com pequena inclinação, sem ser muito áspero ou liso, para evitar escorregões ou desgaste dos cascos.

ALIMENTAÇÃO 

Tem grande impacto no custo de produção, podendo chegar a 80% do total. Por isso deve ser racionalizada e estabelecida de acordo com a idade, fase da criação e finalidade dos animais. A ração balanceada para cada etapa de vida dos suínos é vendida no varejo especializado. Ainda para reduzir gastos com os alimentos, há opções de produzir milho ou outro ingrediente na propriedade; e obter produtos alternativos em substituição ao milho e ao farelo de soja. O acesso dos animais a pastagens também contribui para o bom resultado da atividade.

REPRODUÇÃO 

Deve ser iniciada com a aproximação das fêmeas, a partir do segundo ou terceiro cio, e do reprodutor ainda em áreas separadas. Junte os animais somente para cobertura. Recomenda-se fazer duas a três coberturas por cio, com intervalo de 12 horas. Depois de 114 dias de gestação, nascem de sete a 12 leitões, que desmamam entre 30 e 45 dias. A ração deve ser introduzida desde os dez dias.

Fonte: Globo Rural

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com