Como produzir o Boi 20-20, maior lucro e rentabilidade

Como produzir o Boi 20-20, maior lucro e rentabilidade

PARTILHAR
Foto: Alexandrino / Faz. Bela Vista

Para que o pecuarista possa produzir um boi de 20 arrobas abatido com até 20 meses é necessário ter alguns critérios, confira as dicas de como produzir o Boi 20-20!

A pecuária de corte no Brasil, está em constante evolução e precisa continuar investindo em tecnologia. Já passamos por grandes mudanças, como redução no tempo para abate, melhorias na nutrição e, principalmente, o melhoramento genético. Entretanto, para se produzir animais precoces, alcançando número de 20@ em apenas 20 meses, é preciso estar atento ao ganho de peso, o maior gargalo da pecuária no país. Diante disso, confira as dicas do especialista, no vídeo, para produzir o Boi 20-20.

Para alcançar esta meta, Leonardo Souza sugeriu mais investimentos para elevar o ganho de peso médio ao dia. “Qual é o maior problema da pecuária brasileira? É ganho de peso. Não tem conversa, o que manda no negócio é ganho de peso, é o que paga a conta. O Inttegra tem um trabalho que diz que a cada 100 gramas que aumenta no ganho de peso (diário) dos animais, aumenta R$ 200 no lucro por hectare”, informou.

Souza lamentou o alto volume de animais abatidos com 42 meses ou mais. 34% do gado abatido no Brasil hoje estão nesta faixa etária, sendo que, destes, 14% têm 48 meses ou mais, como mostra o gráfico abaixo. “Esse ano só quem está abatendo animais de 20 a 24 meses, ou menos, é que está realmente ganhando dinheiro”, contou o diretor do programa Qualitas.

Segundo o veterinário, o ideal é reduzir a idade de abate, acelerar o giro do estoque dentro da porteira e, deste modo, aumentar a produtividade em arrobas por hectare ao ano.

Para tanto, o diretor do Nelore Qualitas selecionou três pilares para o pecuarista seguir e para produzir um boi de 20 arrobas abatido com até 20 meses.

Veja abaixo:

1 -Estação de monta 70 dias

Para o veterinário, esta é base todo processo. Isto porque se todas as vacas já pariram quando começa uma nova estação de monta na fazenda, o pecuarista tem um ganho operacional, pois a mão de obra fica toda voltada para cuidar da estação reprodutiva, sem perder foco cuidando de outras situações. “Só é possível uma vaca produzir um bezerro ao ano se estiver uma estação de 70 dias ou menos. Assim os bezerros são mais uniformes em relação ao peso, pois vão nascer todos em um período de pouco mais de dois meses, diferindo apenas em relação à genética”, indicou.

2: Emprenhar novilhas com 14 meses

“É bonito porque é possível produzir até 33% a mais de bezerros com a mesma quantidade de fêmeas na minha fazenda. Isso faz com que eu mude totalmente a quantidade de animais que eu posso vender no rebanho. Eu saio média brasileira de 20% pra 36% do rebanho”, afirma Souza, referindo-se à taxa de desfrute.

3 – Seleção para eficiência alimentar

“A gente quer animais mais eficientes para diminuir o custo produção e para que possa aumentar a lotação de pastos da fazenda”, resumiu o veterinário. Segundo ele, a meta do programa é selecionar bovinos mais eficientes que possam, nos próximos dez anos, aumentar em 10% a taxa de lotação das propriedades em que estiverem.

Sistema como esse,  destacou Leonardo Souza, alcançam produtividade de  até 18 arrobas por hectare ao ano.

“Uma coisa fantástica que a gente vê no Nelore é que o Nelore, na verdade, é a pecuária brasileira. A raça mãe da pecuária de corte é o Nelore. […] Uma evolução fantástica da raça. […] Antigamente você matava um boi de quatro ou cinco anos, mas hoje você consegue trazer um abate num sistema de pasto para dois anos e meio. A gente já fala hoje do boi 20-20, que é o boi de 20 meses (no abate) pesando 20 arrobas. E a evolução se dá por vários motivos, mas um motivo fundamental é a evolução genética. […] Você tem hoje os sumários, em que consegue fazer a avaliação de reprodutores, consegue fazer acasalamento dirigido, consegue produzir uma carcaça em que você tem marmoreio, avaliar o marmoreio, a espessura de gordura. Em tudo eu acho que a gente evoluiu demais e o Nelore tem uma contribuição fundamental, não só como raça pura, como uma raça para fazer heterose pelo cruzamento do zebuíno com o taurino. É a raça fantástica”, animou-se o leiloeiro rural Guillermo Sanchez.

Compre Rural com informações do Giro do Boi

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com