Confinamento terá custo de produção elevado, diz Cepea

Confinamento terá custo de produção elevado, diz Cepea

PARTILHAR
Confinamento VFL Brasil. Foto: Marcella Pereira

O boi magro e o milho negociados no estado de São Paulo registram atualmente os maiores patamares nominais das séries do Cepea.

Esses dois itens são justamente os que mais pesam sobre o custo de produção do confinador. De acordo com levantamento do Cepea, em SP, o boi magro tem sido negociado entre R$ 2.800,00 e R$ 2.950,00.

Segundo pesquisadores do Cepea, esses preços maiores estão atrelados à oferta restrita de bezerros ao longo do último semestre e às valorizações do boi gordo, que estimulam pecuaristas a planejar e terminar seus animais no sistema de confinamento.

Outro fator importante que influencia na decisão de confinar é o preço da alimentação, principalmente do milho – nesta semana, o cereal tem sido negociado entre R$ 57,00 e R$ 58,00/saca de 60 kg na região de Campinas (SP).

Nesse cenário, os pecuaristas que realizam confinamento precisam estar atentos à sazonalidade de preços do boi magro, bem como a possíveis intensificações das exportações de milho – especialmente diante do dólar elevado –, que podem limitar a disponibilidade doméstica e elevar os preços do cereal.

Assim, o ano de 2020 se mostra bastante desafiador para confinadores, visto que a pandemia de coronavírus tende a prejudicar os comércios doméstico e internacional, além de dificultar as projeções para o período.

Preço do milho vai a R$ 63 com temor sobre oferta

O mercado brasileiro de milho voltou a apresentar avanços nas cotações nesta quarta-feira, 18. Segundo o analista de Safras & Mercado, Paulo Molinari, há muita apreensão com os efeitos das paralisações regionais de comércio que podem afetar a demanda.

“Porém, também há muita atenção ao câmbio e ao clima com necessidade de chuvas para a safrinha”, comenta. Tudo isso leva a uma retração na oferta por parte dos vendedores.

No Porto de Santos, o preço ficou entre R$ 47,50 e R$ 57,00 a saca. No Porto de Paranaguá (PR), preço entre R$ 46,00 e R$ 54,00 a saca.

No Paraná, a cotação ficou em R$ 50,00/51,00 a saca em Cascavel. Em São Paulo, preço de R$ 58,00/60,00 na Mogiana. Em Campinas CIF, preço de R$  61,00/63,00 a saca.

No Rio Grande do Sul, preço ficou em R$ 51,50/52,50 a saca em Erechim. Em Minas Gerais, preço em R$ 53,00/54,00 a saca em Uberlândia. Em Goiás, preço esteve em R$ 48,50 – R$ 50,00 a saca em Rio Verde – CIF. No Mato Grosso, preço ficou a R$ 46,00/48,00 a saca em Rondonópolis. 

Fonte: Cepea e Agência Safras&Mercado

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com