Frigorífico desrespeita o pecuarista, barbaridade!

Frigorífico desrespeita o pecuarista, barbaridade!

PARTILHAR
embarque de gado nelore
Foto: Agrônomo Alan Moreira

A pergunta que o pecuarista faz é a seguinte: Como pode o boi gordo perder quase 20 reais por arroba, de um dia para o outro? Um desrespeito com o pecuarista!

No fechamento do mercado da terça-feira, 17, em São Paulo, boa parte das indústrias frigoríficas estavam fora das compras. A Scot Consultoria relata que alguns frigorífico/indústrias estiveram em compasso de espera, em função das consequências no consumo de carne bovina no mercado interno, do fluxo de exportação, e das medidas sanitárias para desacelerar a propagação do coronavírus.

Em Mato Grosso do Sul, a JBS a gigante dos frigoríficos, iniciou a terça-feira com uma verdadeira bomba no mercado do boi. A oferta dos valores foi de R$ 170/@ para boi, sendo a segunda-feira cotada em em R$ 187/@, a questão é: “Como pode um boi perder quase R$ 20/@ de um dia para outro?”.

Pecuarista que não tiver cautela e união estará sempre a mercê dos frigoríficos, chega dessa pressão, hora do produtor se impor e ditar o preço do mercado!

Já na praça de São Paulo, principal praça pecuária do país, a JBS abriu o dia com oferta base de R$ 180/@, também uma diferença de quase R$ 20 em relação aos dias anteriores. Uma verdadeira barbaridade o que as grandes indústrias fazem em um momento de temor e pandemia no mundo. Uma verdade falta de respeito para com o pecuarista, elo fundamental e detentor da matéria prima dessa cadeia de produção.

Ver a indústria, se aproveitar de um momento de temor para poder prejudicar o produtor rural é uma verdade inconsequência. Nós, classe produtora, não podemos deixar mais que isso aconteça. Precisamos de união, precisamos nos impor, precisamos nos colocar frente ao mercado e ditar o preço dessa commoditie.

É inegável que tenhamos um momento de reajuste no consumo de proteína e na economia mundial diante da pandemia do coronavírus. Entretanto, ver a indústria se aproveitar de um momento de crise, como esse, para punir o pecuarista, não é justo, não é humano e não representa decência no mercado! Por que trata-lo de forma tão insignificante como essa?

Ver a indústria se aproveitar de um momento de crise, como esse, para punir o pecuarista, não é justo, não é humano e não representa decência no mercado!

Segundo informações da Scot Consultoria: “As que estão ativas, abriram as ordens de compra para não comprar, pois as ofertas estão até R$ 15 por arroba abaixo da referência, sem negócios concretizados. As programações de abate estão, em função disso, encurtando”, disse em boletim.

Momento de segurar o boi!

O momento é de união dos pecuaristas, é momento de mostrar que somos fortes e não estamos no mercado, produzindo carne de qualidade e com o suor do dia a dia para poder receber “esmola” das indústrias. Chega de ser tratado sem respeito.

As indústrias estão ficando apertadas e começaram a dar férias, escalas estão defasadas e estoques sendo enxugados. Dentro de uma semana a indústria terá que sair as compras e agora é momento do pecuarista virar o jogo. Se a indústria colocou um teto mínimo, nós também vamos colocar!

Aproveite seu pasto para poder engordar e valorizar ainda mais seus animais. Não perca dinheiro estreitando sua margem por uma indústria que só aumenta a dela! Pense, se informe e busque vender pelo melhor preço que se encaixe na sua realidade!

Pecuaristas, juntos somos muito mais fortes!

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com