Conheça a primeira fazenda de pecuária flutuante do mundo

Conheça a primeira fazenda de pecuária flutuante do mundo

PARTILHAR
china maior fazenda leiteira
Foto: Divulgação

Cerca de 40 vacas de leite confinadas serão ordenhadas por robôs e devem produzir 800 l/dia

A primeira fazenda leiteira do mundo será inaugurada no Porto de Roterdã este ano, com o objetivo de ajudar a cidade a produzir mais alimentos de forma sustentável.

Uma empresa imobiliária holandesa, a Beladon, construiu a instalação bem no meio do porto de Merwehaven, em Roterdã, e a utilizará para criar 40 vacas Meuse-Rhine-Issel, ordenhadas por robôs.

A fazenda da Beladon, que terá três níveis e está ancorada no fundo do oceano, deve ser iaugurada no final de 2018 e produzir cerca de 800 litros de leite por dia.

Peter van Wingerden, engenheiro da Beladon, teve a ideia em 2012 quando estava em Nova York trabalhando em um projeto habitacional flutuante no rio Hudson.

Lá, o furacão Sandy atingiu as ruas da cidade e danificou suas redes de transporte. A entrega de mercadorias ficou prejudicada e após dois dias foi difícil encontrar produtos frescos nas lojas.

“Fiquei pensando na necessidade de produzir alimentos o mais próximo possível dos consumidores”, diz van Wingerden.”Então surgiu a idéia de produzir alimentos frescos de maneira adaptável ao clima na água”.

O conceito também seria resistente a furacões, acrescenta.

“Não podemos mais confiar nos sistemas de produção de alimentos do passado”, diz ele.

Mais tarde, sua equipe começou a trabalhar no projeto e conversou com a Autoridade Portuária em Roterdã. Apesar das hesitações iniciais sobre o potencial ruído e cheiro, o porto deu a Beladon um espaço para construir um protótipo.

Desde então, a fazenda tomou forma, e no início deste verão europeu sua plataforma flutuante foi movida por barcaças de Zaandam, no norte da Holanda, para Roterdã.

A esposa de Peter e sua parceira de negócios, Minke van Wingerden, diz que a fazenda começará com 40 vacas, o suficiente para o empreendimento equilibrar. Mas ela diz que é “facilmente escalável”, com operações maiores prometendo “eficiências óbvias”.

A fazenda também pretende reutilizar e reciclar o máximo que puder. “Pelo menos 80% do que nossas vacas comem serão resíduos da indústria alimentícia de Roterdã”, diz o gerente geral da fazenda, Albert Boersen.

Foto Divulgação

Isso pode incluir grãos descartados por cervejarias locais, restos de restaurantes e cafés, subprodutos de moinhos de trigo locais e até aparas de grama, todos coletados e entregues em caminhões elétricos fornecidos pela empresa local de “resíduos verdes” GroenCollect.

“Também cultivaremos lentilha como alimento para os animais”, diz van Wingerden. “É rica em proteína, cresce rapidamente e pode ser cultivada com urina de vaca. Teremos uma instalação de quatro ou cinco plataformas verticais cultivando a planta sob luzes LED especiais.”

Foto Divulgação.

O projeto ainda gerará parte de sua própria energia – hidrogênio produzido por eletrólise alimentada por painéis solares.

 Leia também:

Uma vez em funcionamento, a fazenda irá produzir e pasteurizar leite e iogurte no local e vendê-lo em Roterdã. Também irá processar e vender o esterco das vacas.

Pecuária de Leite: Passado, presente e seu duro futuro

 

Fonte: BBC

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com