Conheça o Boi 22-22 com 22@ em apenas 22 meses

PARTILHAR
Foto: Kauam Rodrigues / Divulgação

Novo protocolo garante maior precocidade ao animal, batizado de Boi 22-22, o animal ganha 22@ em apenas 22 meses de idade; Confira como fazer!

Fazenda goiana usa novo protocolo nutricional para elevar precocidade do rebanho Nelore PO e produzir gado comercial mais jovem e pesado. A pecuária nacional passa por mudanças e o pecuarista vem se adaptando a essa nova realidade, encurtando o ciclo pecuário e utilizando genética e nutrição de ponta. Dessa forma a realidade é outra e o sistema cada vez mais lucrativo e produtivo.

Submetida a um extenso período seco – de até 180 dias – na região do Vale do Araguaia, a BSB Agropecuária, de Jussara, GO, procurou por bom tempo uma solução para a constante perda de peso de seus animais de recria no período que vai de maio a início de novembro.

Com área total de 2.500 hectares, sendo 1.700 ha de pastagens formadas com Marandu, Andropogon, Massai, Zuri e Mombaça, a BSB dedicou-se, durante muitos anos, à produção de tourinhos Nelore com 36 meses idade, vendendo cerca de 150 exemplares/ano.

A partir de 2016/2017, contudo, o sistema produtivo da empresa começou a mudar, com a adoção de um modelo proposto pelo zootecnista Renato Tângari Dib, professor da Universidade Estadual de Goiás (UEG) e consultor técnico da BSB.

Na safra 2019/2020, a “fornada” de 200 tourinhos já foi composta por indivíduos jovens (22 a 24 meses) e pesados (620 a 650 kg), perfil de animal que o professor Dib batizou de “Boi 22-22”, ou seja, um macho pesando 22@ aos 22 meses de idade.

O professor Dib batizou de “Boi 22-22”, ou seja, um macho pesando 22@ aos 22 meses de idade !

Para alcançar essa meta desafiadora, o consultor dividiu a recria em duas etapas, intensificando o desempenho dos animais na primeira delas, por meio do chamado “sequestro” pós-desmama (machos e fêmeas), ou seja, o fornecimento aos bezerros durante a seca, em confinamento, de uma dieta com qualidade nutricional similar à de um pasto em ótimas condições.

Na segunda etapa de recria – já nos meses de chuva –, os animais são direcionados para áreas de pastejo rotacionado.

José Abel e Silva Júnior, gestor da fazenda, conta que sentia necessidade de aumentar a precocidade do gado PO e que o protocolo do “Boi 22-22” desencadeou uma grande mudança na propriedade, não apenas nos machos.

“Começamos a desafiar novilhas na recria intensiva e conseguimos aumentar significativamente o índice de prenhez em precocinhas na fazenda. De 500 que desafiávamos antes, passamos, hoje, para 850. E o ciclo de produção dos tourinhos foi reduzido em um terço. Por isso, estimo que a produtividade geral da fazenda tenha aumentado, no mínimo, 35%”, avalia o gestor.

Leilão da fazenda

Touros avaliados pelos programas Qualitas e PMGZ, produtos de novilhas desafiadas precocemente, formaram os lotes de cabeceira que foram apartados em Jussara, no interior de Goiás, para o “7º Leilão  BSB Agropecuária Virtual”, em 27 de setembro.

Compradores dos estados de Goiás, Tocantins, Pará e Mato Grosso garantiram total liquidez ao pregão, com renda alcançando R$ 1,7 milhão. O remate eletrônico do criatório de Elson Castilho, que foi transmitido pelo canal Terraviva, negociou 100 touros prontos para o serviço a campo da safra 2018 até 23 meses de idade, em média.

A cotação média geral para os machos ofertados bateu em R$ 17.235 – valor equivalente a 73,1@ de boi gordo para pagamento à vista em Goiânia (R$ 235,5/@), de acordo com a Scot Consultoria.

Todos os zebuínos duplamente avaliados saíram com classificação DECA1, medições de ultrassonografia de carcaça e foram selecionados para o Programa de Avaliação de Touros Jovens (PNAT), da ABCZ.

Adaptado do Portal DBO

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com