Controle da mastite ambiental em gado leiteiro

PARTILHAR

A mastite contagiosa e ambiental são as doenças economicamente mais desafiadoras enfrentadas pelos produtores de leite pelo mundo; Veja!

mastite bovina é definida como inflamação da glândula mamária e é uma das doenças mais importantes e onerosas na bovinocultura de leite. A mastite bovina pode ser causada por vários fatores – microrganismos – e por injúrias físicas ou químicas, porém a origem infecciosa é a mais prevalente.

A mastite contagiosa e ambiental são as doenças economicamente mais desafiadoras enfrentadas pelos produtores de leite pelo mundo – com um único caso potencialmente custando aos produtores milhares de reais ao longo dos anos.

As perdas econômicas incluem:

  • Produção de leite não realizada;
  • Custos de tratamento;
  • Aumento do risco de abate;
  • Leite descartado.

O custo é principalmente devido à perda de produção, mas com a nova legislação entrando em vigor no início do próximo ano, o controle da mastite na fazenda se tornou mais importante do que nunca.

Mastite ambiental

A mastite ambiental geralmente é causada por uma infecção contraída fora da sala de ordenha.

A mastite ambiental é causada por bactérias como  E.coli  e  Strep Uberis, sendo  as principais fontes de fezes e lama. 

Para minimizar as chances de desenvolvimento de mastite ambiental, é necessário um bom manejo animal – ao pastorear as vacas e durante a ordenha.

Pré e pós-ordenha

Antes e depois da ordenha, algumas pontas das tetas das vacas não estarão completamente fechadas, portanto as áreas onde as vacas se reúnem, como bebedouros, passagens, pátios de coleta e alojamentos devem ser mantidas limpas para minimizar a infecção.

As vacas que entram e saem da sala de ordenha correm o maior risco de desenvolver mastite ambiental.

Respingar esterco pode sujar os úberes das vacas e aumentar o risco de desenvolver uma infecção.

Por causa disso, essas áreas devem ser mantidas o mais limpas possível, especialmente a área de saída, quando as tetas das vacas não estiverem fechadas.

Durante a ordenha

Durante a ordenha, é o momento ideal para que as bactérias da mastite ambiental se espalhem entre vacas a partir de cachos contaminados.

A maneira mais eficaz de controlar a propagação de bactérias é por meio de uma boa rotina de ordenha e do uso de um desinfetante de teta pós-ordenha.

Certifique-se de que, ao anexar cachos a uma vaca apresentada para ordenha, seu úbere esteja limpo, se mais de 5% do rebanho vier com úberes sujos – há um problema de manejo pré-ordenha que precisa ser resolvido.

Dicas de rotina de ordenha:

  • Limpe as tetas com uma toalha de papel;
  • Retire o leite de cada teto antes de colocar o cacho;
  • Não faça mais ou menos leite das vacas;
  • Ter um protocolo de tratamento em vigor;
  • Use um desinfetante para tetinas pós-ordenha.

Com informações da Agriland, traduzidas e adaptadas pelo Compre Rural

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com