Em caso raro, égua da um grande presente ao dono

Em caso raro, égua da um grande presente ao dono

PARTILHAR
Fotos: Vanise Riscof

O caso acontece uma vez a cada mil partos. Foi com grande felicidade que o produtor viu a sua égua dar a luz à potros gêmeos em Cunha Porã. Veja!

Um fato, no mínimo, inusitado foi registrado na propriedade do agricultor Lindolfo Riscof e sua esposa Neusa, na Linha Glória do Meio, interior de Cunha Porã/SC, na manhã do último dia 4 de maio. O agricultor, que tem paixão por cavalos desde sua infância, teve a satisfação em ser surpreendido pela égua Morena, que deu à luz potros gêmeos.

O fato é uma raridade, um a cada mil partos, segundo estatísticas. No entanto, um dos potros acabou não resistindo. Já o outro filhote vem recebendo cuidados do acadêmico de Medicina Veterinária, Lucas Kluge Grunitzky, e do agricultor. Mesmo com a morte de um dos potros, a família Riscof está muito feliz pelo fato raro em sua propriedade.

De acordo com especialista, probabilidade é de uma em cada mil partos.
Neste caso, placenta e útero foram compatíveis para manter a nutrição.

“Logo após a fecundação o organismo do animal tenta eliminar um dos embriões e nessa tentativa de eliminar um dos embriões acaba eliminando ambos e ocorre o aborto. Este caso é uma peculiaridade, uma individualidade deste animal. A placenta e o útero foram compatíveis para manter a gestação em níveis de oxigenação e nutrição de ambos os fetos até o parto”, explica o veterinário. 

Gestação gemelar pode causar aborto em éguas

Equinos são uma espécie muito sensível, e a gestação gemelar, mesmo não sendo tão comum, é um dos fatores de maior ocorrência de abortos, o que pode levar a égua a uma diminuição da sua fertilidade.

Dificilmente uma gestação dupla em equinos é levada até o final, geralmente ocorre o aborto nos primeiros dias após a fecundação, mas já foram relatados casos em que houve o nascimento do potro, porém estes se encontravam fracos, com mínima chance de sobrevivência, ou natimortos.

A gestação gemelar, tanto em humanos quanto em animais, na maioria das vezes é obtida pela liberação de mais de um óvulo durante a ovulaçao, onde os mesmo são fecundados por espermatozóides diferentes, até hoje só há um relato de caso na literatura de gestação gemelar em equinos a partir de apenas uma célula reprodutora feminina.

Logo, se diagnosticado precocemente, existem técnicas para tentar transformá-la em uma gestação simples para evitar possíveis prejuízos à saúde do animal.

A maior incidência de Gestações Gemelares nesses animais é observada em animais com idade entre seis e dez anos, já que animais jovens têm uma menor predisposição à ovulações múltiplas.

Uma técnica muito utilizada é através da eliminação de uma das vesículas pelo esmagamento da mesma sob o controle auxiliar ultrassonográfico. Já que nesses animais é possível fazer a identificação da mesma a partir de 10 dias após a fecundação.

Com pesquisas sendo realizadas a cada instante sobre assuntos diversos, aparecem técnicas que visam proporcionar um maior bem- estar animal, porém estas só deverão ser realizadas por especialistas, por necessitarem de conhecimentos prévios sobre a anatomia e funcionamento do organismo animal para não trazer nenhum tipo de prejuízo ao mesmo.

Compre Rural com informações do Jornal ON e Escola do Cavalo

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com