Encantadora de Nelore: jovem mostra docilidade da raça

Encantadora de Nelore: jovem mostra docilidade da raça

Jovem corajosa mostra que animais da raça Nelore não são tão reativos quando tratados com carinho e amor

Muito se fala sobre manejo racional e sanitário hoje em dia, pois estudos mostram que animais tratados de forma adequada tem mostrado uma qualidade diferenciada na carne na hora do abate e docilidade. Mais de 80% do rebanho nacional é Nelore, e em cada canto do Brasil vemos diferentes tipos de tratamento aos animais, isso mostra que a docilidade ou não dos animais depende de vários fatores.

Fabiana Macelani, 25, nascida em Matão cidade que fica a 300 quilômetros da capital São Paulo é um exemplo de como tratar os animais, engana-se achando que ela é formada nas profissões do campo, ela é formada em administração de empresas.

A pequena propriedade (aproximadamente 44 hectares) onde fica os animais é do avô materno que teve doze filhos, sendo quatro homens que vivem da renda do sítio. A maior renda da propriedade vem da lavoura, são cultivados milho e café, a pecuária é somente um complemento de renda. Eles tem um pequeno rebanho de vacas Nelore e vendem a bezerrada na desmama, todas as vacas são nascidas lá, o touro que faz monta à campo é registrado e é trocado de tempos em tempos pra que não cruze com suas próprias crias.

Sobre o contato com o Nelore, vamos deixar que ela mesmo fale:

“Eu sempre frequentei o sítio desde quando nasci, mas nunca tive contato tão direto com eles. Há uns 6 anos atrás nasceu um bezerro e a mãe o rejeitou, meus tios queriam dar o bezerro embora mas não deixei, criei ele na mamadeira (não temos costume de fazer isso) à partir dai comecei a me envolver e gostar. No começo tomei algumas investidas das vacas já adultas, mas agora elas convivem comigo desde bezerras.

As vezes acontece alguns acidentes mas “sem querer”, um pisão no pé, uma vaca empurra a outra e acaba esbarrando em mim e me derrubando mas nada grave. Eu insisti bastante pra elas acostumarem, sempre chego falando algo pra elas ouvirem minha voz e algumas vêm cheirar pra conferir se sou eu mesmo.

Isso ajuda bastante aqui porque por exemplo quando há algum bezerro com bicheiras ou qualquer outro machucado consigo curar no pasto, já aconteceu de novilhas rejeitarem a primeira cria e eu também consigo colocar os bezerros no teto. Entretanto tudo isso tenho que fazer sozinha, se for alguém comigo elas já ficam agitadas e ariscas”. 

E não foi com comida que eu amansei elas, foi só com o contato mesmo, carinho é o ponto chave.

Selecionamos algumas fotos e vídeos para mostrar a relação da Fabiana com os animais.