PARTILHAR

Texto escrito pelo Zootecnista José Otávio Lemos, produtor rural, jurado e conselheiro técnico da ABCZ.

Um esporte muito praticado na Índia é o arraste de pedras com touros da raça Nelore. Toneladas em uma pedra puxada por dois touros. Mais importante que essa prática, a fortaleça desse bovino para a pecuária de tantos países.

O estado de Andhra Pradesh é a região indiana onde o grupamento se fixou e irradiou para tantas partes da própria Índia e outros países. Aliás, o nome Nelore foi dado por causa do porto onde a raça foi embarcada para chegar ao Brasil.

O nome original da raça é Ongole.

De início, não era a raça favorita entre as importadas para a pecuária brasileira. Pouco a pouco foi mostrando os muitos valores que tem e é grande contribuinte na genética do maior rebanho comercial do mundo – o brasileiro.

Nos núcleos de seleção da raça no Brasil, várias ações buscando precocidade, qualidade de carne, carne marmorizada e até seleção para leite. Alguns bem genéricos na busca e outros, como nichos que, com certeza, têm resposta positiva no mercado.

A rusticidade do Nelore é impressionante e a reação positiva pós período mais difícil, como a seca com pouca alimentação disponível, mostra que a raça é bem apropriada para as regiões tropicais do planeta. Num jogo de palavras: Nelore faz mais por menos. Até quando usado para cruzamentos industriais, certeza de que não é simplesmente a tal rusticidade que doa, é também produtividade.

A característica número 1 para qualquer trabalho de seleção, a fertilidade. E ela, no Nelore, é forte. Tanto no macho quanto na fêmea da raça.

Uma vaca Nelore, enquanto as de outras raças suspendem o cio em épocas mais difíceis, não o faz.

Coloque um touro Nelore e um touro de qualquer raça europeia em um lote de fêmeas em uma época mais difícil do ano e veja quantos bezerros nascem de cada um dos reprodutores.

Até a condução do rebanho exige menos manejo. Os animais, no conjunto, têm um sentido gregário. Ou seja, manejado por poucos e isso também diminui custos.

Realmente, forte. Por isso, quando escrevi um livro sobre a raça, escolha imediata: Nelore, a raça forte.

Leia também

*O Zootecnista José Otávio Lemos, produtor rural, jurado e conselheiro técnico da ABCZ e diretor da JOL Empresa Múltipla Assessoria e Consultoria.

-- conteúdo relacionado --

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com

PARTILHAR
Portal de conteúdo rural, nosso papel sempre será transmitir informação de credibilidade ao produtor rural.

2 COMENTÁRIOS

Comments are closed.