Epagri estima crescimento da colheita de grãos de catarinenses

PARTILHAR
colheitadeira de soja
Foto: Divulgação

A Epagri/Cepa apresentou as estimativas para a safra de verão 2022/23 em Santa Catarina; apresentação foi para representantes do setor agropecuário e do governo.

Se as condições climáticas forem adequadas, o Estado catarinense deve contabilizar uma safra 2022/23 de grãos superior ao ciclo 2021/22. São esperadas elevações de 28,8% na produção de soja, 49% na produção de milho grão, e de praticamente 24,5% na produção de feijão, nos três casos considerando os números de primeira safra. A exceção fica para o arroz, cujo volume produzido deve registrar uma discreta queda de -2,1%.

Soja primeira safra

A primeira safra 2022/23 de soja em Santa Catarina deve crescer 28,8% em relação ao ciclo agrícola anterior, estima a Epagri/Cepa. Se o clima colaborar, o Estado tem potencial para produzir 2.610.176,3 toneladas do grão, contra 2.025.910,8 na safra 2021/22.

O maior impulso virá do incremento na produtividade média, que na primeira safra 2022/23 deve ficar em 3.647,1 quilos por hectare, índice 27,8% maior do que no ciclo 2021/22, quando chegou a 2.853,1 quilos por hectare.

A área plantada cresce apenas 0,8%, evoluindo de 710.072 para 715.682 hectares entre as duas safras. O avanço acontece sobre áreas de milho, pastagens e reflorestamento. Estes números comprovam o aumento sistemático da área de cultivo da oleaginosa ao longo da última década, que chega a cerca de 30%.

Milho grão primeira safra

Se as condições climáticas forem adequadas, Santa Catarina pode produzir 49% a mais de milho grão na primeira safra 2022/23, na comparação com o mesmo período 2021/22. Se este cenário se confirmar, a produção do cereal em Santa Catarina deve ser de 2.724.779 toneladas nesta primeira safra, contra 1.829.263,6 toneladas no primeiro ciclo 2021/22.

A alta esperada será resultado do aumento estimado de 51,2% na produtividade média, que segundo os cálculos da Epagri/Cepa deve saltar de 5.599,1 quilos por hectare em 2021/22 para 8.476,4 quilos por hectare no ciclo que inicia. A área plantada tem pequena redução de –1,5%, encolhendo de 326.704 hectares para 321.798 hectares.

Feijão primeira safra

Apesar da queda estimada de -3,7% na área plantada, a produção catarinense de feijão primeira safra deve aumentar em 24,5% entre o ciclo que inicia e o anterior. Se na primeira safra 2021/22 Santa Catarina produziu 53.837,6 toneladas de feijão, na primeira safra 2022/23 a produção deve subir para 67.019,3 toneladas.

Esta elevação da produção será reflexo do aumento esperado de 29,3% na produtividade média. Em 2022/23 é estimado que Santa Catarina produza 1.948,5 quilos por hectare na primeira safra de feijão. No ciclo anterior essa produtividade média ficou em 1.507,2 quilos por hectare.

A área plantada com feijão primeira safra, que era de 35.721 hectares em 2021/22 caiu para 34.396 hectares em 2022/23. A queda é reflexo do aumento nos custos de produção e da redução das cotações do produto nos últimos meses.

Arroz

Santa Catarina é atualmente o segundo maior produtor de arroz irrigado do país e deve se manter nessa posição, com uma produção estimada de 1.225.918,4 toneladas na safra 2022/23. O volume é -2,1% inferior ao ciclo agrícola anterior, puxado pela queda prevista de -1,6% na área plantada e -0,6% na produtividade média.

Apesar da pequena queda, a safra 2022/23 de arroz catarinense poderá ser considerada boa, caso as estimativas se confirmem, uma vez que no ciclo anterior a produtividade ficou acima da média histórica.

A produtividade média da safra 2022/23 deve ser de 8.436,3 quilos por hectare, inferior ao ciclo agrícola anterior, quando os rizicultores catarinenses colheram, em média, 8.483,1 quilos por hectare.

A área plantada vai cair de 147.654 para 145.315 hectares entre as duas safras.

Milho silagem

Em condições ideais de clima, Santa Catarina terá capacidade de produzir 9.106.095,6 toneladas de milho silagem na safra que inicia. Este volume é 47,6% superior ao colhido na safra passada, que chegou a 6.169.020,4 toneladas.

Para alcançar tal crescimento, o Estado conta com um incremento de 44,7% na produtividade média do milho silagem neste ciclo agrícola. Na safra passada os agricultores catarinenses colheram em média 27.596,9 quilos por hectare de milho silagem, índice que neste ciclo deve ficar em 39.946,4 quilos por hectare.

A área plantada aumenta 2%, evoluindo de 223.540 para 227.958 hectares entre as duas safras.

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com