Foram mais de 400 cabeças de gado por quase R$ 900 mil

Foram mais de 400 cabeças de gado por quase R$ 900 mil

PARTILHAR
Animais-da-raca-simental-da-Casa-Branca-Agropastoril
Foto: Fábio Fatori

Considerado um dos maiores eventos, ele contou com apoio do Sistema Faesc/Senar e leiloou bovinos das raças Charolês, Simental, Angus e Red Angus.

O 3º LEILÃO DE GADO GERAL (BOVICORTE), realizado no último fim de semana em Chapecó (SC), com transmissão pelo youtube OESC TV, foi um sucesso. Foram comercializados 65.623 quilos de animais vivos, o que rendeu um total de R$ 827.890,00. Ao todo, foram cerca de 400 cabeças de gado disponibilizadas na pista!

O evento, realizado com apoio da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Santa Catarina (Faesc), do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar/SC) e do Sicredi, contou com aproximadamente 300 animais das raças Charolês, Simental, Angus e Red Angus para venda.

Segundo o presidente do Sindicato Rural de Chapecó, Caio Luiz Carlos Travi, o valor médio do lance inicial é de R$ 10,00/kg tanto para macho quanto para fêmea e o volume total de negócios era estimado em R$ 1.000.000,000.

O Bovicorte tem por objetivo promover o desenvolvimento da bovinocultura de corte na região e valorizar o desempenho produtivo da atividade com um leilão de gado padronizado e de qualidade.  

“A intenção era realizar uma esplêndida exposição com a presença de nossos produtores com animais e mostrar as potencialidades da região no setor, porém, em função da pandemia faremos o leilão de forma online. Acreditamos na retomada da normalidade para que possamos em um futuro breve nos reunir e confraternizarmos”, observa o presidente ao destacar que o agronegócio não parou e nunca vai parar, pois é o alicerce deste País”.

O Bovicorte visa promover o desenvolvimento da bovinocultura de corte na região e valorizar o desempenho produtivo da atividade com um leilão de gado padronizado e de qualidade. Segundo o presidente do Sindicato Rural de Chapecó, Caio Travi, foram comercializados R$ 35.850,00 em bois (R$ 10,04 o kg/vivo); R$ 287.690,00 em novilhas (R$ 10,74 o kg/vivo); R$ 130.450,00 em terneiras (R$ 14,19 kg/vivo); R$ 353.600,00 em terneiros (R$ 15,12 o kg/vivo) e R$ 20.300,00 em vacas (R$ 7,61 o kg/vivo).

“Atingimos nosso objetivo de oferecer uma boa remuneração ao produtor, valorizar a qualidade do produto e de oferecer uma alternativa a mais para comercialização de cabeças de gado de qualidade e com alto desempenho reprodutivo”, destacou Travi ao agradecer aos produtores rurais, aos compradores e a todos os que contribuíram com o sucesso do evento.

A expectativa agora é que as atividades voltem ao normal para que seja possível em um futuro breve realizar um evento presencial e comemorar o desempenho do setor. “O agronegócio não parou e nunca vai parar, pois é o alicerce deste País”, completou Travi.  

O vice-presidente do Sindicato Rural de Chapecó e vice-presidente regional da Federação da Agricultura e Pecuária de Santa Catarina (Faesc), Ricardo Lunardi, ressaltou que além de valorizar o produto e o bom trabalho feito pelos produtores da bovinocultura, o leilão também demonstrou a importância do Programa de Assistência Técnica e Gerencial (ATeG), que vem sendo realizado nas propriedades da região com excelentes resultados

“Tivemos grandes avanços na qualidade e produtividade do rebanho nos últimos anos”, conclui.

O vice-presidente do Sindicato Rural de Chapecó e vice-presidente regional da Federação da Agricultura e Pecuária de Santa Catarina (Faesc), Ricardo Lunardi, ressalta que as expectativas foram superadas além de serem as melhores, pois o evento contou com animais de excelente qualidade e desempenho reprodutivo. 

Fonte: Bovicorte

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com