Frigoríficos estão correndo atrás de boi, arroba vai subir

Frigoríficos estão correndo atrás de boi, arroba vai subir

PARTILHAR
Foto Divulgação

Compradores já retomam contato com pecuaristas em busca de animais para abate; Agora é a vez do pecuarista tentar preços melhores e ver se arroba vai subir!

Nesta segunda-feira (27), as indústrias frigorificas do estado de São Paulo já começaram a especular no mercado do boi gordo e ir atrás dos pecuaristas para avançar nas negociações, na qual estão ao redor de R$ 192,00/@. Com a chegada do mês de fevereiro, a expectativa é que o consumo interno melhore após volta ás aulas e feriado de carnaval.  

De acordo com o Vice-Presidente do Sindicato Rural da Alta Noroeste (Siran), Francisco Brandão, a expectativa é que o consumo interno fique mais aquecido com o carnaval e a volta ás aulas. “Eu estou sentindo que os frigoríficos menores já começaram a ligar para os pecuaristas para especular os preços, mas estão ocorrendo negócios nos valores de R$ 192,00/@ e é um valor razoável”, comenta.

O valor ideal seria próximo de R$ 210,00/@ já que os preços ficaram depreciados por muito tempo.

No entanto, a maior parte dos produtores rurais está segurando os animais nos pastos para gerenciar a entrada de gado. “Tem muitos pecuaristas que estão aguardando a retomada das cotações, sendo que muitos estão aguardando o retorno da demanda chinesa. Está tudo favorável para o mercado, porém eu não acho que vai voltar aos patamares que observamos em dezembro”, aponta.

Com relação às programações de abate, a liderança destaca que giram ao redor de 3 dias úteis. “As vendas começam a ficar intensas a partir da terça-feira”, disse. Na opinião de Brandão, o valor ideal seria próximo de R$ 210,00/@ já que os preços ficaram depreciados por muito tempo.

Mercado futuro encerra a 2ª feira com ligeiras quedas na Bolsa Brasileira

As referências futuras para o boi gordo finalizaram a sessão desta segunda-feira (27) com ligeiras quedas na Bolsa Brasileira (B3). Os principais contratos negociados tiveram perdas de 0,26%, na qual o vencimento Janeiro/20 terminou cotado a R$ 188,00/@ e o Fevereiro/20 está precificado a R$ 188,40/@.

No mercado físico, o valor negociado para a arroba na região de José Bonifácio/SP é de R$ 192,00, à vista para o animal que atende o padrão exportação e com data para o abate em 03 de janeiro. Os participantes do aplicativo AgroBrazil informaram negócio na localidade de Lutécia/SP em que a arroba do boi China foi comercializada a R$ 188,00, à prazo com trinta dias para pagar e com data do abate em 31 de janeiro.

Em São Paulo, as programações de abate estão curtas e tem frigoríficos com escalas de dois dias. A Scot Consultoria relatou em sua análise de mercado que o mercado está com expectativa de uma maior demanda nas próximas semanas. “É possível que estas indústrias ofertem preços melhores nos próximos dias, a fim de compor a capacidade operacional da indústria”, disse.  

A Informa Economics FNP ressaltou que os frigoríficos têm reduzido o ritmo de compras de novos lotes, por conta da inconsistência das vendas de carne nos mercados atacadistas, devido ao elevado patamar do preço da proteína e também ao período do ano. “As variações nos preços da arroba ainda seguem regionalizados, uma vez que a baixa oferta de lotes terminados limita o avanço das escalas de abate ao mesmo tempo em que dificulta a ocorrência de negócios a valores abaixo das máximas vigentes”, apontou.

A oferta restrita de boiadas prontas tem implicado em redução dos abates e até mesmo em dias sem operação em algumas plantas frigoríficas do Centro-Sul brasileiro, conforme a Radar Investimentos destacou em seu boletim matinal.

Para as próximas semanas, a expectativa é que as vendas da proteína bovina fiquem aquecidas, movimento tipicamente sazonal de início do mês. A Agrifatto informou que se confirmado o maior fluxo de vendas de carne bovina, o mercado pecuário também pode registrar preços mais fortalecidos para a arroba do boi gordo.

“A carcaça casada no atacado paulista continua perdendo força, ocasionado pelo baixo escoamento de carne bovina no mercado doméstico, que está cotada em R$ 13,31/@ (queda de 1,92% na comparação semanal). Tem registros de negociações abaixo disso, orbitando a faixa dos R$ 11,00 e R$ 11,50/kg – mesmos preços vistos em outubro/19”, disse a Agrifatto.

Segundo o analista de Safras & Mercado, Fernando Henrique Iglesias, o cenário, até o momento, oferece poucas perspectivas de mudança, com o escoamento da carne fluindo de maneira morosa. 

  • Em São Paulo, preços a R$ 189 a arroba para pagamento à  vista, contra R$ 190,00 na sexta-feira.
  • Em Minas Gerais, preços de R$ 184 a arroba, em Uberaba, estável.
  • No Mato Grosso do Sul, preços seguiram em R$ 175 a arroba, em Dourados.
  • Em Goiás, o preço indicado permaneceu em R$ 182 a arroba em Goiânia.
  • Já no Mato Grosso o preço ficou inalterado em R$ 173 a arroba em Cuiabá.

Exportação

Os embarques de carne bovina in natura tiveram uma desaceleração na quarta semana de janeiro se comparado com há terceira semana. De acordo com as informações da Secretária do Comércio Exterior (SECEX), a média diária embarcada de carne bovina in natura foi de 5,4mil toneladas e teve um aumento de 23,2% frente ao mês de dezembro de 2019, que registrou uma média de 7,1 mil toneladas por dia útil.

“Deste modo, a projeção do consolidado fica em 110,2 mil toneladas, 7,6% acima frente a janeiro de 2019. Os dados desta semana ainda devem ser contabilizados, o que deve alterar estas estimativas de volume acima”, explicou a Radar Investimentos.

Compre Rural com informações do Notícias Agrícolas, Agência Safras&Mercado

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com