Frigoríficos oferecem R$ 158,00/@ e revolta pecuaristas

Frigoríficos oferecem R$ 158,00/@ e revolta pecuaristas

PARTILHAR
Foto Divulgação.

Pecuaristas protestam contra preço do boi em RO; Segundo entidade, o diferencial chega a quase R$ 30,00 por arroba, para a praça de São Paulo. Veja!

A Federação de Agricultura e Pecuária do Estado de Rondônia-  FAPERON, em nota publicada na imprensa, alerta que, historicamente neste últimos 3 anos, os preços pagos pela arroba do boi e vaca gorda, sempre obedeceram a um diferencial de 7 a 10% em relação aos preços pagos na praça do estado de São Paulo e sendo igual aos valores pagos aos pecuaristas de MT, GO e PA.

Para a diretoria da entidade, os pecuaristas não entendem o porquê de os frigoríficos de Rondônia praticarem preços de até 30 reais a menos no valor da arroba do boi em relação a praça do Estado de São Paulo. 

Preço da arroba no estado caiu mais de 15% em relação a praça de São de Paulo, usada como referência para as demais praças do país.

Segundo a nota, “hoje Rondônia exporta para mais de 40 países, inclusive à China de forma que os volumes de exportações crescem mês a mês, o câmbio do dólar se mantem acima de sifra de R$ 4 reais, a maioria dos frigoríficos tem incentivos fiscais para venda no mercado interno de até 85%(Rondônia) e alíquota zero de ICMS nas exportações para o exterior ou para a zona franca de Manaus.”

Infelizmente, não há justificativa plausível para o que o pecuarista em Rondônia tem enfrentado. A produção do estado é referência no Brasil, com uso de tecnologias, investimento em genéticas e produção de carne premium. Infelizmente, a falta de segurança e políticas que traga segurança para o pecuarista é precária.

Há necessidade de obter maiores explicações e transparência por parte dos frigoríficos para que seja justificado essa diferença de preço. A arroba cotada hoje em São Paulo, praça que é referência para as demais, está em torno de R$ 190,00, uma diferença de 15% em relação a Rondônia, que hoje recebe R$ 158,00, pelo mesmo animal.

Mercado nacional do boi gordo ainda buscando equilíbrio

O mercado físico do boi gordo voltou a se deparar com pressão de queda no decorrer desta quarta-feira. Segundo o analista de Safras & Mercado, Fernando Henrique Iglesias, os frigoríficos usam o argumento do arrefecimento do consumo, interno e externo como justificativa para todo esse movimento no início de ano. 

“Importadores chineses passam a renegociar os contratos de importação de carne bovina brasileira, alegando que os preços estão muito elevados. No entanto, os preços só atingiram esse patamar pela ampliação dos embarques com destino à China”, observou. 

Em São Paulo, Capital, preços a R$ 192 a arroba para pagamento à vista, estável ante a terça-feira. Em Minas Gerais, preços de R$ 186 a arroba, em Uberaba, também estável. Em Mato Grosso do Sul, preços caíram para R$ 178, em Dourados. Em Goiás, o preço indicado estabilizou em R$ 183 a arroba em Goiânia. Já no Mato Grosso, o preço seguiu em R$ 174 em Cuiabá, inalterado. 

Com informações do Rondon Notícias.

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com