Frio intenso para os próximos dias vai castigar a Agricultura

PARTILHAR
Frio intenso para os próximos dias vai castigar a Agricultura
Foto: Metsul

Com base nas atualizações de hoje (23/07), os principais modelos numéricos de previsão do tempo indicam que o frio começará a avançar pelo Brasil a partir de terça-feira (dia 27)

No período de 28/07 até pelo menos 1° de agosto, uma intensa massa de ar frio (de origem polar), a 3ª desse inverno, deverá predominar sobre as regiões Sul, Sudeste, Centro-Oeste e sudoeste da região Amazônica. Com base nas atualizações de hoje (23/07), os principais modelos numéricos de previsão do tempo indicam que o frio começará a avançar pelo Brasil a partir de terça-feira (dia 27). Na segunda-feira (dia 26), uma frente fria atuará na Região Sul e promoverá chuva nos três estados até a terça-feira (27) e, na sequência, se deslocará por partes do Sudeste e de Mato Grosso do Sul.

Onde de frio pode ser uma das mais intensas neste século no Brasil

Ainda no dia 27, deverá ocorrer declínio acentuado das temperaturas máximas da Região Sul. Nos dias que se seguem (28 e 29/07), o ar frio deverá avançar pelo oeste do Brasil (Mato Grosso do Sul, Mato Grosso e sul da Amazônia Legal) e também sobre São Paulo. Mais para o final da próxima semana (dias 29 e 30/07), o frio atingirá o restante do Sudeste e as demais áreas do Centro-Oeste. Muito provavelmente, teremos um outro episódio de frio intenso (similar ou mais forte do que o evento do final de junho).

Fonte: Inmet

Além dos declínios significativos das temperaturas do ar, com mínimas previstas de – 6ºC e – 8°C em uma ampla área da Região Sul na manhã do dia 30/07 (sexta-feira). Há inclusive, um indicativo de temperaturas menores do que – 8°C nas áreas de maior altitude do Sul (Figura 1a e 1b) e não se descarta mais uma ocorrência de queda de neve nas Serras Catarinense e Gaúcha entre os dias 29 e 30/07.

Caso essas previsões, persistam, muito possivelmente, haverá formação de ampla geada (de intensidade forte) em praticamente toda a Região Sul, sul do Mato Grosso do Sul e sudeste de São Paulo. No entanto, para as demais áreas do Centro-Oeste e Sudeste (principalmente Serra da Mantiqueira, divisa entre São Paulo e Minas Gerais), ainda haverá condições de nebulosidade persistente e/ou chuva fraca que inibiriam a formação de geada. Por essas razões é preciso ter cautela e acompanhar as atualizações.

geada-cascavel-4
Foto: Divulgação

GEADAS

Vento e nuvens, em princípio, devem impedir uma sequência de dias de geada ampla e generalizada no Centro-Sul do Brasil. As projeções de geada em maior número de locais são mais para o final do período de pico da onda de frio, logo no final da próxima semana. A geada atingiria partes do Mato Grosso do Sul e de São Paulo, além dos três estados do Sul. É o que, por exemplo, mostra o modelo canadense para o fim da semana que vem.

Como se trata de um evento que vai se estender para daqui a 7 ou 8 dias, as projeções de geada hoje são preliminares e o cenário não é definitivo. Na seção de modelos do site, o assinante tem acesso a diferentes modelos com prognóstico de geada atualizados até quatro vezes por dia.

Uma preocupação da MetSul neste evento, considerando a perspectiva de vento e de frio abaixo de zero em muitos locais, é o alto risco de que se produza a chamada geada negra. Não é a forma tradicional de geada que branqueia paisagens e cobre de gelo automóveis e telhados. Trata-se de um fenômeno em que se dá a morte de vegetais por congelamento.

Mês de julho termina frio no centro-sul do Brasil

Esta pode ser a onda de frio mais forte deste ano e vai, mais uma vez, causar geada ampla em praticamente toda a região Sul, assim como em áreas do Mato Grosso do Sul, São Paulo e sul de Minas Gerais.

As temperaturas vão cair novamente a valores negativos em algumas áreas e tem até a mesmo a possibilidade de nevar, principalmente entre as serras gaúcha e catarinense.

Além do frio, o tempo também fica muito seco, com pouca variação de nebulosidade e umidade do ar que caí a índices críticos nas horas mais quentes do dia. Inclusive, a sensação de frio pode ser maior, pois a tarde as temperaturas conseguem subir, caracterizando uma grande amplitude térmica, ou seja, noites e manhãs frias e tardes mais quentes.

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com

PARTILHAR
Portal de conteúdo rural, nosso papel sempre será transmitir informação de credibilidade ao produtor rural.