Governo insulta produtor de leite com novas medidas

Governo insulta produtor de leite com novas medidas

PARTILHAR
vaca-foi-pro-brejo
Foto: Divulgação

Quais foram as medidas adotadas pelo governo e qual sua influência real para a cadeia de lácteos

Por Thiago Pereira

A cadeia produtiva de lácteos vem sofrendo com as atuais crises que tem se esbarrado ao longo desse ano de 2017. É de grande preocupação, ou melhor, de tirar o sono de todos aqueles envolvidos nesse contexto.

O que se tem observado é um aumento absurdo no preço dos insumos, baixo preço pago ao produtor, aumento da captação de leite e estoque abarrotado nos atacadistas, tudo isso atrelado a instabilidade financeira do consumidor final, tem levado por água abaixo tudo que vem sendo feito pelos envolvidos nessa produção e beneficiamento do leite.

Diante desse caótico cenário, foi criada no 12 de julho de 2017, a Associação Brasileira dos Produtores de Leite (Abraleite), com o intuito de representar mais de um milhão de produtores de leite de todo o país. Com a responsabilidade desse papel, no dia 22 a Abraleite em presença do nosso Ministro Blairo Maggi, trouxe a público as duas medidas tomadas pelo governo: Primeiro a prorrogação das dívidas dos produtores de leite, ou seja, o custeio que você deve será prorrogado em 50% para o ano que vem. Segundo é a prorrogação do investimento que iria vencer este ano.

Com todo esse cenário de desanimo encontrado pela cadeia produtiva do leite, as medidas adotadas pelo governo e tão comemoradas pela cúpula da Abraleite é de grande insulto para o produtor rural. Os produtores viram essa medida adotada pelo governo como uma manobra para tentar mais uma vez ludibriar o setor.

Fonte UOL

As solicitações da maior parte dos produtores são políticas ligas ao preço pago ao produtor, maior reconhecimento do produto nacional com menor importação do leite (tendo uma diferenciação do produto importado e do nacional em sua embalagem) e o principal é a compra de leite nacional para programas do governo.

Em resumo, a situação é de preocupação com mais um mês de queda no preço do leite e um mercado futuro instável.

A desvalorização de um produto como o leite, é de prejuízo gigantesco para toda a nação brasileira, além da grande mão de obra que vai ficando ociosa no campo. E a pergunta que eu deixo é: Onde estão as promessas de um 2018 diferente para se ter oportunidade para pagamento das dívidas hoje adiadas pelo governo?

Governo continua insultando produtores de leite

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com

PARTILHAR
Zootecnista pela Universidade Federal de Viçosa MBA em Gestão de Projetos pela UNIUBE, idealizador do projeto Tecnologia para o Agronegócio. Possui base técnica e experiência de campo em propriedades de corte e leite. Sócio-Diretor do Compre Rural. (62) 996441746 thiagorp100@gmail.com

3 COMENTÁRIOS

  1. […] As notícias para o setor leiteiro não seria diferente, com mais de um semestre de quedas no preço pago ao produtor e um cenário de instabilidade junto aos laticínios. O Ministro da Agricultura Blario Maggi, foi a público juntamente com o Geraldo Borges, presidente da Abraleite, fazer promessas que não passaram de insultos ao produtor. […]

Comments are closed.