Holanda vive 2019 com agropecuária de 3019, veja!

Holanda vive 2019 com agropecuária de 3019, veja!

PARTILHAR
fazenda leiteira flutuante
No final do ano passado, país inaugurou, no maior terminal portuário da Europa, em Roterdã, a primeira fazenda leiteira flutuante do mundo. (Foto: Beladon Building Behavior)

Apostas em inovações tecnológicas, com grandes investimentos, levaram os Países Baixos a serem um potente exportador de alimentos. Veja como estão!

O Brasil e os Estados Unidos são sempre destacados quando se refere aos maiores celeiros do mundo, com altas produções e grandes exportadores de alimentos. No entanto, graças a décadas de inovações tecnológicas, a Holanda é uma das principais referências em agricultura sem necessariamente desperdício, tóxicos e com a antecipada consciência sobre as mudanças climáticas.

Assim, a produção de alimentos no chamado Países Baixos – que tem uma área pouco menor que a de todo o Estado do Rio de Janeiro – faz parecer que vivem centenas de anos à frente do restante do mundo.

A inovação como um todo impactou enormemente a Holanda ao longo dos anos e realmente ajudou a impulsionar métodos agrícolas mais modernos. Em suma, ao longo do tempo, a Holanda realmente estará cultivando para o futuro.

A Universidade de Wageningen é classificada como a melhor universidade agrícola do mundo pelo terceiro ano consecutivo (de acordo com o The National Taiwan Ranking de mais de 300 universidades em excelência científica e de pesquisa). Nela, foi colhida este ano a primeira safra de banana sem terra, usando um composto de solo alternativo feito de turfa de coco e lã de rocha.

Além disso, com a demanda por carne vem naturalmente a necessidade constante de alimentar seu gado. A empresa holandesa Nijsen / Granico, com sede em Veulen, rejeita a ideia de que não há comida suficiente no mundo para alimentar seu gado. Eles produzem cerca de 90.000 toneladas de ração animal por ano inteiramente a partir de alimentos descartados.

No final do ano passado, o país inaugurou, no maior terminal portuário da Europa, em Roterdã, a primeira fazenda leiteira flutuante do mundo. Toda a fazenda será sustentável, alimentando suas vacas com restos de restaurantes locais, coletados por caminhões movidos a eletricidade da GroenCollect. A alimentação restante será de lentilha doméstica.

As despesas de P & D (pesquisa e desenvolvimento) das empresas holandesas (que têm mais de 10 empregados) aumentaram em quase 11%. As empresas do setor agrícola cresceram cerca de 19% (de € 728 milhões para € 864 milhões), marcando um enorme aumento na produtividade.

Economia

A agricultura holandesa subiu 7% em valor entre 2016 e 2017, o que significa 5,5 bilhões de euros a mais para a economia. A Universidade de Wageningen é classificada como a melhor universidade agrícola do mundo pelo terceiro ano consecutivo (de acordo com o The National Taiwan Ranking de mais de 300 universidades em excelência científica e de pesquisa). Nela, este ano, foi colhida a primeira safra de bananas do mundo cultivadas sem terra, usando um composto alternativo de solo feito de turfa e lã de rocha.

No ranking europeu em exportações agrícolas, a Alemanha está no topo, seguida da Bélgica, Reino Unido e França, mas as exportações holandesas são expressivas. As frutas e legumes são os produtos holandeses mais populares nos mercados estrangeiros, representando mais de 13% do total das exportações em 2017. A carne é responsável por quase 12% das exportações, enquanto plantas ornamentais, produtos lácteos e ovos representam cada 10%.

Os Países Baixos ganham mais com horticultura (€ 6,0 bilhões), laticínios e ovos (€ 4,7 bilhões), carne (€ 4,1 bilhões) e legumes (€ 3,8 bilhões). No total, para a economia holandesa, as exportações agrícolas geraram 45 bilhões de euros no ano passado.

Recentemente, a ministra da Agricultura, Natureza e Qualidade Alimentar, Carola Schouten, abordou o fato de que a agricultura holandesa foi avaliada em mais de 90 bilhões de euros. Quando perguntada sobre o que mais importa na agricultura, ela disse que “enfrentar as questões globais de crescente demanda por alimentos cara-a-cara e nossa responsabilidade pela paisagem, biodiversidade e mudanças climáticas”.

Fonte: Globo Rural

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com